Fórumcast, o podcast da Fórum
27 de março de 2019, 11h55

Vélez-Rodriguez compara Brasil atual com Colômbia de Pablo Escobar e gera revolta na Câmara

"Lamentável. O ministro da Educação Vélez comparece à Comissão para esclarecer suas decisões infelizes no MEC e piora sua situação, abordando o tema uso de crack, narcotráfico, diz que o Brasil hoje caminha para ser a "Colômbia de ontem". Vergonhoso para o governo e desrespeito com o país", disse Zeca Dirceu (PT/PR)

Ministro Velez-Rodriguez em audiência na Comissão de Educação da Câmara (Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados)

Pendurado por um fio no comando do Ministério da Educação, o colombiano Ricardo Vélez-Rodriguez complicou ainda mais sua situação durante depoimento à Comissão de Educação da Câmara dos Deputados na manhã desta quarta-feira (27). Vélez causou revolta entre os parlamentares ao comparar o Brasil atual com a Colômbia de “30 anos atrás”.

“Acho que o que se passou na Colômbia 30 anos atrás está se passando no Brasil (hoje) em decorrência do problema das drogas”, disse ele, referindo-se à época em que o tráfico de drogas em seu país de origem era comandado pelo megatraficante Pablo Escobar.

“Lamentável. O ministro da Educação Vélez comparece à Comissão para esclarecer suas decisões infelizes no MEC e piora sua situação, abordando o tema uso de crack, narcotráfico, diz que o Brasil hoje caminha para ser a “Colômbia de ontem”. Vergonhoso para o governo e desrespeito com o país”, tuitou o deputado Zeca Dirceu (PT/PR).

Indicado pelo astrólogo Olavo de Carvalho, Vélez minimizou a importância do guru nas suas decisões frente à pasta. “Não tomo conhecimento”, disse sobre as brigas políticas de Olavo com a ala militar do MEC, ressaltando que “os critérios para nomeação e exoneração são técnicos”.

Vélez ainda ouviu do deputado Ivan Valente (PSol/SP) que estaria “no bico do corvo”, em relação à sua fragilidade no comando da pasta. O ministro disse, no entanto, que “ficarei no Ministério até que senhor presidente me diga ‘muito obrigado, tchau'”.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum