Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
28 de Maio de 2019, 08h22

Veteranos de guerra pró-Trump constroem muro privado na fronteira com o México

Quem se apresenta como um dos proprietários do muro privado é Jeff Allen, que comprou há seis anos o terreno onde foi construído o trecho levantado no fim de semana. Segundo Allen, “isto aqui não é Europa, estamos nos Estados Unidos, e aqui nós protegemos as nossas fronteiras. Este é o nosso primeiro (muro) privado”

Muro privado sendo erguido na fronteira dos EUA com o México (Reprodução)

Por Victor Farinelli, de Valparaíso, no Chile

Um dos mais radicalizados grupos pró-Trump, o UCP (sigla em inglês dos Patriotas Constitucionalistas Unidos), iniciaram neste fim de semana a construção do seu próprio muro privado na fronteira com o México.

Segundo a agência de notícias AFP e o diário mexicano La Jornada, o grupo conseguiu levantar, entre sábado (25) e domingo (26), um primeiro trecho de 800 metros desse muro, em um ponto da fronteira entre Texas e o Novo México, nos Estados Unidos, e a mexicana Ciudad Juárez (Estado de Chihuahua). O UCP considera este um dos acessos mais utilizados por imigrantes, principalmente as caravanas de centro-americanos que tentam chegar a pé aos Estados Unidos, e se tornaram tendência nos últimos meses.

Quem se apresenta como um dos proprietários do muro privado é Jeff Allen, que comprou há seis anos o terreno onde foi construído o trecho levantado no fim de semana. Segundo Allen, “isto aqui não é Europa, estamos nos Estados Unidos, e aqui nós protegemos as nossas fronteiras. Este é o nosso primeiro (muro) privado”.

Allen também critica o Congresso estadunidense, que tem impedido reiteradas vezes a aprovação do projeto do presidente Donald Trump para a construção do muro. “Nós estamos reunindo bastante ajuda, e assim mostramos ao Congresso que se eles estão falhando, teremos que lutar por nós mesmos”.

O ativista de extrema-direita garante que o muro está sendo financiado por centenas de apoiadores da UCP em todo território estadunidense. O responsável pela arrecadação é membro da organização, Brian Kolfage, um veterano de guerra amputado de ambos os pés e um braço. Segundo ele, sua iniciativa conseguiu reunir em cinco meses mais de 22 milhões de dólares, de cerca de 262 mil doadores, através de um site dedicado a esta meta.

Também afirma que sua meta é chegar ao 1 bilhão de dólares, visando construir frações do muro em toda a fronteira com o México – de mais de 3 mil quilômetros.

Curiosamente, Allen relatou à reportagem do La Jornada que foi casado com uma mulher de Ciudad Juárez, onde viveu durante três anos e meio, até que uma onda de violência em 2009, o obrigou a volta ao seu país. Por essa razão, ele insiste em dizer que sua iniciativa e da UCP “não tem nada a ver com racismo ou xenofobia, eu não sou racista, minha mulher e minha filha são mexicanas”.

Allen também comenta que a zona onde está o muro privado é vigiada por ex-militares e veteranos de guerra estadunidenses, que conformam boa parte dos integrantes da UCP, uma situação que foi alvo de polêmica semanas atrás, quando o grupo foi acusado de atuar como uma milícia anti imigrantes, suplantando o trabalho da Patrulha Fronteiriça – os ativistas de extrema-direita se justificam dizendo que sua intenção é a de colaborar com o trabalho da Patrulha.

Com informações do La Jornada


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum