Vídeo: Garota baleada em ato na Paulista teria gritado “Fora Bolsonaro”

O deputado federal Alexandre Frota (PSDB) divulgou imagens de um homem armado na porta de um shopping logo após os disparos

Um vídeo que passou a circular nas redes sociais neste domingo (15) diz que a garota que foi atingida pelo disparo de um bolsonarista na avenida Paulista, durante ato contra o Congresso Nacional, teria gritado “Fora Bolsonaro” antes do crime acontecer. A informação é da pessoa que publicou o vídeo, Kallil Oliveira.

As imagens mostram a garota sendo socorrida no chão da avenida logo após o disparo. É possível ouvir que uma pessoa grita “fascista” e “covarde” contra o autor do disparo ao longo do vídeo.

O caso aconteceu em frente ao banco Safra na avenida, entre o cruzamento da rua Augusta e Haddock Lobo.

A informação deste domingo era que a briga se originou entre dois bolsonaristas que participaram do ato. Segundo relatos, ambos teriam discutido sobre o uso da bandeira do Brasil.

De acordo com a Folha de S.Paulo, dois homens com camisa do Flamengo e carregando a bandeira se envolveram em uma briga com duas mulheres, o que levou a um deles sacar a arma e atirar.

Em entrevista ao jornal, a engenheira de computação, Natália Torres, disse que das mulheres teria tomado a bandeira do Brasil de um dos homens e começou a agredi-lo. “Uma das mulheres estava batendo nos homens com a bandeira do Brasil. Acho que ele sacou a arma e atirou no chão, por causa do barulho”, disse.

O deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) compartilhou em seu perfil no Twitter imagens do autor do disparo, pedindo para a Polícia Militar e Civil de São Paulo investigar o caso.

Publicidade
Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR