Vídeos com ataques ao STF seguem no ar no YouTube e têm mais de 2 milhões de visualizações

Conteúdos, normalmente postados por boslonaristas, não têm ofensas pessoais a ministros, como as feitas por Daniel Silveira (PSL-RJ), mas defendem, por exemplo, que a corte seja fechada ou a destituição de seus integrantes

A defesa de medidas antidemocráticas, como a destituição de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) ou fechamento da corte, esteve entre os argumentos de Alexandre de Moraes para decretar a prisão do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), na última terça-feira (16).

Mas vídeos com conteúdos semelhantes continuam no ar no YouTube e alcançaram mais de 2 milhões de visualizações, conforme reportagem do Globo, publicada neste domingo (21).

O diário carioca fez um levantamento com base em dados do programador Guilherme Felitti, fundador da empresa de análise de dados digitais Novelo Data. E identificou ao menos 26 vídeos no ar, que apoiam o fechamento do STF, a retirada de ministros do Supremo e até a intervenção militar na corte.

As postagens publicadas por 16 canais entre 2018 e 2020 foram assistidas mais de 2,1 milhões de vezes.  Diferentemente do vídeo que levou à prisão do bolsonarista Silveira, esses conteúdos não trazem xingamentos aos ministros nem apologia a agressões físicas.

Boa parte deles foi postada por blogueiros e parlamentares bolsonaristas conhecidos, como a deputada federal Bia Kicis (PSL-DF). Em junho do ano passado, ela publicou uma live que fez com o presidente do PTB, Roberto Jefferson, na qual o político defende que os integrantes do STF sejam aposentados compulsoriamente.

Os vídeos identificados pelo Globo continuam no ar. Não há, nas diretrizes do YouTube, uma proibição expressa contra discursos antidemocráticos.

Leia a reportagem completa do Globo aqui.

Avatar de Fabíola Salani

Fabíola Salani

Graduada em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo. Trabalhou por mais de 20 anos na Folha de S. Paulo e no Metro Jornal, cobrindo cidades, economia, mobilidade, meio ambiente e política.

Em 2021, escolha a Fórum.

Fazer jornalismo comprometido com os direitos humanos e uma perspectiva de justiça social exige apoio dos leitores. Porque se depender do mercado e da publicidade oficial de governos liberais esses projetos serão eliminados. Eles têm lado e sabem muito bem quem devem apoiar.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR