O que o brasileiro pensa?
18 de junho de 2020, 12h20

“Weintraub revela a que veio: destruir políticas que reduzem a desigualdade no Brasil”, diz Padilha sobre fim de cotas

Prestes a sair do governo, ministro revogou portaria que estabelecia cotas na pós-graduação para negros, indígenas e pessoas com deficiência

Abraham Weintraub - Foto: Alessandro Dantas

Parlamentares da oposição condenaram nesta quinta-feira (18) a revogação da portaria que garantia a política de cotas nos programas de pós-graduação do país. A medida foi publicada pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub.

Leia também: Antes de demissão, Weintraub revoga portaria que estabelecia cotas na pós-graduação

A norma foi publicada originalmente em maio de 2016 por Aloizio Mercadante, ministro da Educação do governo de Dilma Rousseff, como estímulo ao acesso de pessoas negras, indígenas e com deficiência nos programas de pós-graduação.

“No seu canto do cisne, Weintraub revela a que veio: destruir uma das políticas mais acertadas para reduzir a desigualdade no Brasil”, afirmou o deputado Alexandre Padilha (PT-SP), em entrevista à Fórum.

Para Rogério Correia (PT-MG), decisão do ministro é “reacionária, racista e vingativa”, mas afirma que medida será derrotada no Congresso.

“Weintraub depois de perder por 9×1 no STF e seguir investigado por crimes contra a democracia, usa o MEC para atacar as cotas raciais e a inclusão de negros na universidade. Atitude reacionária, racista e vingativa! Será derrotado mais uma vez”, disse.

No Twitter, diversos outros deputados comentaram a decisão do ministro, que deve ser demitido do governo Bolsonaro até sexta-feira (19).

“Com um pé pro lado de fora do MEC, Weintraub assina um último ataque: revogou portaria q exige inclusão de pessoas negras, indígenas e com deficiência nos programas de pós-graduação das Universidades. Retrocesso é a diretriz do governo”, afirmou Maria do Rosário (PT-RS).

A deputada Sâmia Bomfim (PSOL-SP) lembrou nas redes sociais que as universidades federais ainda têm autonomia sobre o tema e devem optar por manter as cotas na pós-graduação.

“Deve ser o último fracasso desse energúmeno no MEC. As universidades tem autonomia sobre o tema. Estamos preparando um Projeto de Decreto Legislativo para derrubar a medida”, escreveu.

A União Nacional dos Estudantes (UNE) também se pronunciou, classificando a medida como “muito grave” e pedindo ao Congresso que atue contra a decisão.

Confira outras reações de parlamentares:


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum