Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
10 de fevereiro de 2020, 14h33

Witzel comemora morte de Adriano Nóbrega e manda recado pelas redes: “No meu governo, miliciano não tem vez”

O governador comentou nesta segunda-feira sobre a morte do ex-PM, mas lançou indireta no próprio domingo

Foto: Reprodução

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), comentou sobre a morte do ex-PM Adriano Magalhães da Nóbrega na tarde desta segunda-feira (10). O mandatário elogiou a ação conjunta da Polícia Civil do Rio e da Bahia e ainda mandou uma indireta para o governo Federal. Nóbrega, que comandava a milícia conhecida como “Escritório do Crime” chegou a ser homenageado pela família Bolsonaro em duas oportunidades.

“Não podemos deixar de agradecer à Polícia Civil do Rio de Janeiro. Ontem tivemos duas importantes operações em parceria com outra polícia, a polícia da Bahia e obteve o resultado que se esperava. Chegamos ao local do crime para prender mas, infelizmente, o bandido que ali estava não quis se entregar. Trocou tiros com a polícia e infelizmente faleceu”, declarou o governador.

Segundo Witzel, a polícia do Rio está “está num outro patamar”. Em publicação feita no Twitter no domingo – dia da morte do miliciano -, o governador afirmou que está “eliminando a bandidagem do RJ. “No meu governo, miliciano não tem vez”, publicou ao comentar sobre uma ação comandada pela polícia civil que prendeu outro miliciano no domingo.

Com a mensagem, o governador parece ter mandado uma indireta para o clã Bolsonaro, no qual já foi aliado. O chefe do Escritório do Crime já foi homenageado pelo menos duas vezes pelos Bolsonaro no Legislativo. Em abril de 2005, o hoje presidente Jair Bolsonaro chegou a chamar Nóbrega de “brilhante oficial”. Em setembro daquele ano foi a vez de Flávio Bolsonaro conceder Medalha Tiradentes ao miliciano.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum