Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
30 de outubro de 2019, 16h27

Witzel volta a lamentar “descontrole” de Jair Bolsonaro

"Lamento que o presidente, num momento talvez de descontrole, tenha feito acusações contra a minha atividade como governador", afirmou Witzel, ex-aliado de Bolsonaro

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Diante da insistência do presidente Jair Bolsonaro em apontar o governador do Rio de Janeiro como responsável pela divulgação do depoimento do porteiro do condomínio Vivendas da Barra, Wilson Witzel (PSC) voltou a criticar na tarde desta quarta-feira (30) as acusações e o “descontrole” do presidente. Segundo o governador, ele não tem nenhuma responsabilidade no vazamento.

“Fui magistrado por 17 anos e sempre prezei os princípios constitucionais. Jamais vazei qualquer tipo de informação, nem como juiz, nem como governador. Lamento que o presidente, num momento talvez de descontrole, tenha feito acusações contra a minha atividade como governador”, publicou Witzel no Twitter.

O governador ainda disse que não manipula a Polícia Civil e alfinetou o presidente ao reafirmar a independência do órgão e do Ministério Público. “Não manipulo o Ministério Público nem a Polícia Civil, isso é absolutamente contrário às instituições democráticas. No meu governo, a Polícia Civil é independente. E o Ministério Público tem e sempre terá a sua independência. Eu não tenho nenhuma responsabilidade sobre o que está acontecendo na imprensa. Peço à Polícia Federal que investigue. Se houve vazamento, certamente não foi da minha parte”, completou.

Em live que apareceu descontrolado, o presidente apontou Witzel logo após reportagem do Jornal Nacional, mas voltou a insistir no tema em entrevista concedida a jornalistas na manhã desta quarta-feira. “No meu entendimento, o senhor Witzel estava conduzindo o processo com o delegado da Polícia Civil pra tentar me incriminar ou pelo menos manchar o meu nome com essa falsa acusação, que eu poderia estar envolvido na morte da senhora Marielle”, disse Bolsonaro em Riad, na Arábia Saudita.

Mais cedo, Witzel havia postado uma nota rebatendo as primeiras acusações.

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum