Fórumcast #19
19 de dezembro de 2017, 21h28

Wladimir Costa, deputado que tatuou o nome de Temer, tem mandato cassado pelo TRE

Antipetista fervoroso com o discurso anticorrupção e fiel escudeiro de Michel Temer, Wladimir Cota (SD-PA) foi condenado por abuso de poder econômico e gastos ilícitos em sua campanha no ano de 2014. Com a decisão, Costa se torna inelegível por 8 anos, mas ainda cabe recurso no TSE

Por Redação

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) condenou por unanimidade, nesta terça-feira (19), o deputado Wladimir Costa (SD-PA) por abuso de poder econômico e gastos ilícitos em sua campanha no ano de 2014. Com a decisão, Costa perde o mandato de deputado e fica inelegível por 8 anos. Por hora, no entanto, o parlamentar permanece no cargo pois ainda cabe recurso na instância superior.

Ajude a Fórum a fazer a cobertura do julgamento do Lula. Clique aqui e saiba mais.

Wladimir Costa é acusado pelo Ministério Público Estadual de deixar de declarar R$ 149.950 em despesas de material gráfico, além de mais de R$ 100 mil em despesas efetuadas entre julho e setembro de 2014.

Antipetista fervoroso com seu discurso anticorrupção, Wladi, como é conhecido, foi o responsável por estourar um “rojão” de confetes na sessão da Câmara que cravou o impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff e estampou o noticiário em julho deste ano ao fazer uma tatuagem de henna com o nome de Michel Temer. A atitude foi uma “homenagem” ao peemedebista, a quem tanto defende, em meio às discussões das denúncias contra ele que tramitaram na Câmara dos Deputados.

Veja também:  Assessor 2 a Dallagnol: Tudo o que você não precisa é ser associado ao Bolsonaro, "por favorzinho"

Em uma dessas sessões, inclusive, Wladimir Costa foi flagrado pelo fotógrafo Lula Marques compartilhando “nudes” pelo celular no meio do plenário. Relembre aqui.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum