Imprensa livre e independente
25 de junho de 2019, 22h11

Presidente da CCJ afirma que combinou ida de Moro à Câmara no dia 2 de julho

Objetivo da comissão é ouvir o que o ministro da Justiça tem a dizer a respeito das mensagens reveladas pelo site The Intercept Brasil

Foto: Divulgação
O deputado Felipe Francischini (PSL-PR), presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara (CCJ), afirmou, nesta terça-feira (25), que combinou tudo com a equipe do Ministério da Justiça para que Sérgio Moro vá à CCJ no dia 2 de julho. Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo O intuito da comissão é ouvir o que o ministro da Justiça tem a dizer a respeito das mensagens reveladas pelo site The Intercept Brasil, altamente comprometedoras, especialmente em diálogos com o procurador da Lava Jato, Deltan Dallagnol. As conversas deixam claro...

O deputado Felipe Francischini (PSL-PR), presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara (CCJ), afirmou, nesta terça-feira (25), que combinou tudo com a equipe do Ministério da Justiça para que Sérgio Moro vá à CCJ no dia 2 de julho.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

O intuito da comissão é ouvir o que o ministro da Justiça tem a dizer a respeito das mensagens reveladas pelo site The Intercept Brasil, altamente comprometedoras, especialmente em diálogos com o procurador da Lava Jato, Deltan Dallagnol. As conversas deixam claro que Moro orientava a atuação da força-tarefa.

A audiência da CCJ, que teria a participação de Moro, estava prevista para esta quarta-feira (26), porém, foi cancelada. O ministro, estrategicamente, viajou aos Estados Unidos.

Veja também:  Glenn Greenwald diz que Moro "finge ter extrema e trágica amnésia" sobre diálogos da Vaza Jato

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum