Imprensa livre e independente
17 de outubro de 2018, 15h56

Presidente da UDR e cotado para ministro de Bolsonaro diz que há espaço para desmatar a Amazônia

Nabhan Garcia defende a saída brasileira do Acordo de Paris, fala no fim da “indústria da multa” pelos fiscais do Ibama, e diz que "há muita lenda" sobre a questão do aquecimento global.

Bolsonaro e Nabhan Garcia (Reprodução)
Cotado para assumir um super ministério que agregará a Agricultura e o Meio Ambiente, caso Jair Bolsonaro (PSL) seja eleito, o presidente da União Democrática Ruralista (UDR), Luiz Antônio Nabhan Garcia, disse em entrevista à Folha de S.Paulo nesta quarta-feira (17), que há espaço na Amazônia para desmatamento. “É óbvio (que há espaço para desmatamento), o sujeito tem uma propriedade, comprou e pagou. A lei diz que em área de floresta eu tenho direito de abrir 20% e deixar 80% de reserva e, na área de cerrado, de abrir 65% e deixar 35% de reserva legal”, disse, em entrevista ao...

Cotado para assumir um super ministério que agregará a Agricultura e o Meio Ambiente, caso Jair Bolsonaro (PSL) seja eleito, o presidente da União Democrática Ruralista (UDR), Luiz Antônio Nabhan Garcia, disse em entrevista à Folha de S.Paulo nesta quarta-feira (17), que há espaço na Amazônia para desmatamento.

“É óbvio (que há espaço para desmatamento), o sujeito tem uma propriedade, comprou e pagou. A lei diz que em área de floresta eu tenho direito de abrir 20% e deixar 80% de reserva e, na área de cerrado, de abrir 65% e deixar 35% de reserva legal”, disse, em entrevista ao repórter Eduardo Scolese.

Com o mesmo pensamento de Bolsonaro, Nabhan defende a saída brasileira do Acordo de Paris e fala no fim da “indústria da multa” pelos fiscais do Ibama. E para ele, “há muita lenda” sobre a questão do aquecimento global.

“Essa já uma outra discussão, técnica, que criaram muita fantasia, muita lenda em cima, nesse processo ideológico dessa esquerda que tentou dominar o mundo e está indo por água abaixo”, disse o ruralista, que já chegou a ser indiciado por apropriação de terra pública e ameaça, sobre o aquecimento global.

Veja também:  Tereza Campello: A fome está de volta, Bolsonaro

Leia a entrevista na íntegra.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum