Imprensa livre e independente
12 de julho de 2019, 16h54

Presidente do Grupo Companhia das Letras, Luiz Schwarcz troca socos com homem na Flip

Empresário envolveu-se em uma briga durante a Flip (Festa Literária Internacional de Paraty)

(Foto: Divulgação/ Companhia das Letras)
Luiz Schwarcz​, presidente do Grupo Companhia das Letras, foi abordado por um homem que, aos gritos, afirmou que era da mesma sinagoga que o empresário frequenta e o xingou de “escroto e filho da puta”, em uma das tendas da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), na manhã desta sexta-feira (12). Após o episódio, ouve troca de socos. “Um senhor me abordou e passou a me agredir verbalmente, pois segundo ele, no lançamento do livro ‘Grande Sertão: Veredas’, em São Paulo, no dia 9 de março, eu teria me recusado a entregar o livro de sua esposa ao escritor Mia...

Luiz Schwarcz​, presidente do Grupo Companhia das Letras, foi abordado por um homem que, aos gritos, afirmou que era da mesma sinagoga que o empresário frequenta e o xingou de “escroto e filho da puta”, em uma das tendas da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), na manhã desta sexta-feira (12). Após o episódio, ouve troca de socos.

“Um senhor me abordou e passou a me agredir verbalmente, pois segundo ele, no lançamento do livro ‘Grande Sertão: Veredas’, em São Paulo, no dia 9 de março, eu teria me recusado a entregar o livro de sua esposa ao escritor Mia Couto”, afirma Schwarcz, de acordo com informações Folha de S.Paulo.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo.

Os dois estavam em frente ao palco onde começaria a mesa moderada pela historiadora Lilia Schwarcz, esposa de Luiz. O homem havia entregado a ele um livro, meses antes, e pedira que o editor o enviasse para o escritor moçambicano Mia Couto. Schwarcz se desculpou e disse que não poderia fazer isso. O homem o interpelou dizendo: “Estou vendo que você tem cara de deprimido”, passou a xingá-lo e o empurrou. Schwarcz reagiu e deu um soco no homem.

Veja também:  Bolsonaro ataca Flávio Dino e João Azevêdo, governadores do Maranhão e da Paraíba

A assessoria da Companhia das Letras afirmou que Luiz lamenta o incidente e pede desculpas pelo transtorno.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum