Imprensa livre e independente
06 de julho de 2019, 13h51

Procuradora Monique Cheker lança mais suspeitas sobre os arquivos da Vaza Jato

Procuradora, que aparece em conversas dizendo que "Moro viola o sistema acusatório" e tecendo críticas ao juiz, voltou a falar sobre invasão de dispositivos e edição de mensagens; "Fumaça ilícita para despistar"

Foto: Reprodução/YouTube
Um dia após a divulgação da reportagem da Veja em parceria com o The Intercept Brasil, que traz conversas inéditas entre o ministro Sérgio Moro e procuradores da Lava Jato, a procuradora Monique Cheker voltou, neste sábado (6), a lançar suspeitas sobre os arquivos da série de reportagens que ficou conhecida como Vaza Jato. Pelo Twitter, sem citar diretamente os vazamentos, Cheker seguiu o discurso de Sérgio Moro e falou sobre edição de mensagens e invasão de dispositivos, sem cravar, no entanto, se os diálogos de fato são autênticos ou não. “Numa Era em que a única certeza é qual...

Um dia após a divulgação da reportagem da Veja em parceria com o The Intercept Brasil, que traz conversas inéditas entre o ministro Sérgio Moro e procuradores da Lava Jato, a procuradora Monique Cheker voltou, neste sábado (6), a lançar suspeitas sobre os arquivos da série de reportagens que ficou conhecida como Vaza Jato.

Pelo Twitter, sem citar diretamente os vazamentos, Cheker seguiu o discurso de Sérgio Moro e falou sobre edição de mensagens e invasão de dispositivos, sem cravar, no entanto, se os diálogos de fato são autênticos ou não.

“Numa Era em que a única certeza é qual o próximo dispositivo que será invadido; em que editar mensagens e até imagens é mais fácil do que escrever, torna mais importante, pelo menos num contexto de um diálogo minimamente sério, verificarmos a cadeia de veracidade da informação”, escreveu a procuradora.

E continuou: “Ou a Cadeia de Custódia da Prova. Edições totais e parciais podem ocorrer. Fumaça ilícita para despistar. Certidão de veracidade ou juramento por quem tem interesse na divulgação da informação não basta. Até porque ‘do outro polo’ podem fazer o mesmo e só palavras não bastam”.

Veja também:  Ao lado de pastores, Bolsonaro diz que filho não é "aventureiro" para embaixada: "Acabou de casar, inclusive"

 

A procuradora aparece em algumas das conversas que vêm sendo divulgadas. De acordo com os vazamentos, em 1º de novembro de 2018, uma hora antes de Moro anunciar que tinha aceitado o convite de Jair Bolsonaro para se tornar ministro da Justiça, Monique Cheker escreveu que “Moro viola sempre o sistema acusatório e é tolerado por seus resultados”.

Para a procuradora, o movimento do ex-juiz deixava a imagem de que ele estava fazendo uma “escadinha” política com a Lava Jato: “Moro ajudou a derrubar a esquerda, a esposa fez propaganda para Bolsonaro, ele agora assume cargo político. Não podemos olhar como natural”, escreveu.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum