Imprensa livre e independente
12 de julho de 2019, 19h25

Projeto de Bolsonaro contra conselhos profissionais enfurece OAB

Segundo a Ordem dos Advogados do Brasil, a proposta, que retira a obrigatoriedade de adesão e limita os poderes das entidades, visa o enfraquecimento da OAB

Foto: Reprodução
A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) não gostou nada do projeto do governo Federal de limitar a atuação de conselhos profissionais. Segundo Felipe Santa Cruz, presidente da entidade, será travada uma dura batalha. Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo. De acordo com informações da colunista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, a OAB acredita que a proposta, que retira a obrigatoriedade de adesão e limita os poderes das entidades, visa o enfraquecimento da Ordem, que tem hoje 1,2 milhão de filiados. Além disso, a entidade crê que essa mudança abre margem para a...

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) não gostou nada do projeto do governo Federal de limitar a atuação de conselhos profissionais. Segundo Felipe Santa Cruz, presidente da entidade, será travada uma dura batalha.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo.

De acordo com informações da colunista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, a OAB acredita que a proposta, que retira a obrigatoriedade de adesão e limita os poderes das entidades, visa o enfraquecimento da Ordem, que tem hoje 1,2 milhão de filiados.

Além disso, a entidade crê que essa mudança abre margem para a entrada de bancas internacionais no Brasil. Santa Cruz avisou ao Ministério da Economia que abrirá uma guerra “sem tréguas”.

Veja também:  Bolsonaro quer criar Black Friday verde e amarela com descontos "patrióticos" no Sete de Setembro

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum