Imprensa livre e independente
26 de abril de 2019, 08h29

PSDB cobrou propina de R$ 97 milhões entre 2004 e 2012, dizem delatores; R$ 39 mi foi para Serra

Além do senador, são citados nas delações o ex-governador Geraldo Alckmin, o ex-senador Aloysio Nunes e ainda Gilberto Kassab (ex-DEM, hoje PSD), ex-prefeito da capital

O senador José Serra, do PSDB (Agência Senado)
Reportagem de Aiuri Rebello e Wellington Ramalhoso, no portal Uol nesta sexta-feira (26), informa que executivos das empreiteiras Odebrecht e Andrade Gutierrez delataram que entre os anos de 2004 e 2012 o senador José Serra e outros políticos do PSDB paulista, além de operadores ligados ao grupo, cobraram ao menos R$ 97,2 milhões em propinas. Serra teria, segundo delatores, sido o maior beneficiado no esquema, tendo recebido no mínimo R$ 39,1 milhões para caixa 2 de diferentes campanhas suas. O dinheiro teria sido obtido por meio de contratos de obras de infraestrutura do governo do estado. Além do senador, são...

Reportagem de Aiuri Rebello e Wellington Ramalhoso, no portal Uol nesta sexta-feira (26), informa que executivos das empreiteiras Odebrecht e Andrade Gutierrez delataram que entre os anos de 2004 e 2012 o senador José Serra e outros políticos do PSDB paulista, além de operadores ligados ao grupo, cobraram ao menos R$ 97,2 milhões em propinas.

Serra teria, segundo delatores, sido o maior beneficiado no esquema, tendo recebido no mínimo R$ 39,1 milhões para caixa 2 de diferentes campanhas suas. O dinheiro teria sido obtido por meio de contratos de obras de infraestrutura do governo do estado.

Além do senador, são citados nas delações o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP), o ex-senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) e ainda Gilberto Kassab (ex-DEM, hoje PSD-SP), ex-prefeito de SP.

Leia a reportagem na íntegra

Veja também:  Coagido, diretor da Odebrecht disse que "construiu relato" na Lava Jato sobre sítio de Atibaia, atribuído a Lula

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum