Imprensa livre e independente
30 de novembro de 2017, 19h03

“Puta”, “vagabunda”, “maconheira” e “demônia”: assim um PM tratou uma manifestante pacífica em São Paulo

Vídeo da Ponte mostra um policial hostilizando uma manifestante que estava em um ato anti-fascista pacífico na avenida Paulista; mulher não reage a nenhuma das ofensas do policial, que chega a ameaçá-la de prisão e agressão e ainda a manda “tomar no c*”. Assista Por Redação Um vídeo registrado pela Ponte Jornalismo mostra o despreparo da Polícia Militar paulista para lidar com manifestações. As imagens mostram um policial hostilizando gratuitamente uma mulher que participava de uma manifestação anti-fascista na avenida Paulista nesta quarta-feira (29). “Puta”, “demônia” e “maconheira” são apenas alguns dos xingamentos desferidos pelo PM, que ainda ameaça a...

Vídeo da Ponte mostra um policial hostilizando uma manifestante que estava em um ato anti-fascista pacífico na avenida Paulista; mulher não reage a nenhuma das ofensas do policial, que chega a ameaçá-la de prisão e agressão e ainda a manda “tomar no c*”. Assista

Por Redação

Um vídeo registrado pela Ponte Jornalismo mostra o despreparo da Polícia Militar paulista para lidar com manifestações.

As imagens mostram um policial hostilizando gratuitamente uma mulher que participava de uma manifestação anti-fascista na avenida Paulista nesta quarta-feira (29).

“Puta”, “demônia” e “maconheira” são apenas alguns dos xingamentos desferidos pelo PM, que ainda ameaça a manifestante de agressão e prisão. Em nenhum momento ela reage.

A secretaria de Segurança Pública, questionada sobre a conduta do policial, ainda não se manifestou.

Assista.

Foto: Daniel Arroyo/ Ponte Jornalismo (Reprodução)

 

 

Veja também:  Atriz e influenciadora digital, Ana Clara Paim compara fim dos likes no Instagram à abolição da escravatura

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum