Imprensa livre e independente
05 de outubro de 2017, 10h03

Quem ataca performance do MAM é homem, branco, evangélico e de direita, diz pesquisa

O levantamento é da empresa SocialQI, de Daniel Braga, que cuida da comunicação pessoal de João Doria nas redes sociais, que também atacou a exposição

O levantamento é da empresa SocialQI, de Daniel Braga, que cuida da comunicação pessoal de João Doria nas redes sociais, que também atacou a exposição Da Redação* De acordo com levantamento feito pela empresa SocialQI, de Daniel Braga, que cuida da comunicação pessoal de João Doria nas redes sociais, o perfil médio das pessoas que atacaram o MAM nas redes sociais por causa da performance com um homem nu na abertura de uma exposição é de homem (62%), evangélico (40%) e de direita (82%). Eles têm entre 35 e 44 anos, são brancos, casados, de classe média e com ensino superior. Cerca...

O levantamento é da empresa SocialQI, de Daniel Braga, que cuida da comunicação pessoal de João Doria nas redes sociais, que também atacou a exposição

Da Redação*

De acordo com levantamento feito pela empresa SocialQI, de Daniel Braga, que cuida da comunicação pessoal de João Doria nas redes sociais, o perfil médio das pessoas que atacaram o MAM nas redes sociais por causa da performance com um homem nu na abertura de uma exposição é de homem (62%), evangélico (40%) e de direita (82%).

Eles têm entre 35 e 44 anos, são brancos, casados, de classe média e com ensino superior. Cerca de 60% são de SP. O próprio prefeito criticou a mostra – e teve o apoio de 82% dos seguidores que comentaram o vídeo que ele postou nas redes.

Segundo o levantamento, 157 mil pessoas comentaram o assunto até a quarta (4) em sites, blogs e redes sociais como Facebook, Twitter e Instagram: 66% se posicionaram contra a performance, 16% foram neutros e 18% defenderam o MAM.

*Com informações da coluna de Mônica Bérgamo

Veja também:  Alexandre Frota diz que Doria o convidou para se filiar ao PSDB

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum