Imprensa livre e independente
17 de março de 2019, 19h31

“Quem mandou matar Marielle?”, questiona torcida do Náutico durante jogo em Recife

Ala antifascista da torcida do Náutico expôs para milhares de pessoas a pergunta ainda sem respostas; assassinato de Marielle completou um ano na última semana

Reprodução/Twitter
Futebol e política voltaram a se encontrar neste domingo (17) durante a partida entre Náutico e Santa Cruz pelo Campeonato Pernambucano, em Recife. A ala antifascista da torcida do Náutico levantou uma faixa com a pergunta que não quer calar: “Quem matou Marielle?”. 1 ano sem respostas. A torcida do Náutico quer saber: quem mandou matar Marielle Franco? pic.twitter.com/frIG7WyyLf — Brigada Popular Alvirrubra (@BrigadaCNC1901) 17 de março de 2019 Na última terça-feira (12), policiais da Divisão de Homicídios e promotores do Ministério Público estadual do Rio de Janeiro prenderam o policial militar reformado Ronnie Lessa, 48 anos, e o ex-policial...

Futebol e política voltaram a se encontrar neste domingo (17) durante a partida entre Náutico e Santa Cruz pelo Campeonato Pernambucano, em Recife. A ala antifascista da torcida do Náutico levantou uma faixa com a pergunta que não quer calar: “Quem matou Marielle?”.

Na última terça-feira (12), policiais da Divisão de Homicídios e promotores do Ministério Público estadual do Rio de Janeiro prenderam o policial militar reformado Ronnie Lessa, 48 anos, e o ex-policial militar Élcio Vieira de Queiroz, de 46 anos, apontados como suspeitos pelos assassinatos da vereadora do PSOL e do motorista Anderson Gomes. Lessa, inclusive, morava no mesmo condomínio de Jair Bolsonaro no Rio de Janeiro.

Os mandantes do crime, no entanto, ainda são desconhecidos.

Na última quinta-feira (14), dia que o assassinato de Marielle completou um ano, ocorreram manifestações no Brasil e no mundo em homenagem a vereadora e por justiça.

Veja também:  Anielle Franco, irmã de Marielle, deve ser candidata pelo PSOL

 

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum