Governo de Bolsonaro é o sonho do neoliberalismo “made in USA”

A ignorância de conceitos básicos de economia, relações internacionais e soberania nacional, aliada à submissão por um encantamento quase infantil de Bolsonaro e seu governo, são um sonho que o neoliberalismo "made in USA" não ousou acreditar que se transformaria em realidade nem mesmo nos tempos em que FHC serviu de aparador para Bill Clinton

O deslumbre demonstrado por Jair Bolsonaro na vergonhosa viagem aos Estados Unidos – totalmente desprezada pelo anfitrião – mostra que o apoio do sistema financeiro e do establishment hegemônico à eleição do capitão não se deu à toa.

Viagem de vira-latas: a submissão de Bolsonaro aos EUA em 12 falas e situações

A ignorância de conceitos básicos de economia, relações internacionais e soberania nacional, aliada à submissão por um encantamento quase infantil de Bolsonaro e seu governo, são um sonho que o neoliberalismo “made in USA” não ousou acreditar que se transformaria em realidade nem mesmo nos tempos em que FHC serviu de aparador para Bill Clinton.

Bolsonaro, que se vangloriou por receber o número particular de Donald Trump para ‘ligar quando quiser’ mesmo sem falar inglês, mal articula as ideias confusas, discursando em quaisquer ocasiões em looping, que circula entre ‘combate ao comunismo/ culpa do PT/ Cuba/ Venezuela’, tudo dito na primeira pessoa do singular.

Bolsonaro é ignorante confesso em economia, que foi entregue a bel prazer do “Chicago Old”, Paulo Guedes, que além da subserviência à ideologia de Milton Friedman – que não encontra lastro teórico ou prático em nenhum lugar do mundo – mostrou toda sua patética paixão pela Disneilândia e pela Coca-Cola na promessa de entregar a troco de pelúcias do Mickey e do Pateta toda riqueza aos comparsas do “mercado”, começando por uma reforma extorsiva da Previdência.

A visita à CIA, agência de inteligência criada justamente para propagar a “cultura” estadunidense e promover golpes durante a Guerra Fria, mostra a mesma ignorância de Sérgio Moro, que hoje ocupa o ministério da Justiça, após desenvolver sua noção de “justiça” nos quadrinhos do Batman e do capitão América.

Bolsonaro não governa. É governado. Sobretudo por Huguinho, Zezinho e Luizinho. Faz diplomacia com a cabeça esculpida por Olavo de Carvalho do filho Eduardo. Faz política e negociatas com o “traquejo” comunicacional de Carlos. E constrói relações sob os mesmos valores de Flávio.

Por sua ignorância – no sentido de ignorar o conhecimento -, Bolsonaro realiza o sonho do neoliberalismo “made in USA”, entregando riquezas e sufocando socialmente o Brasil sob um falso discurso patriótico e nacionalista. E tudo isso com o deslumbre de uma criança que viu o Pateta na Disneilândia pela primeira vez.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Em 2021, escolha a Fórum.

Todos os dias Fórum publica de 80 a 100 matérias desde às 6h da manhã até à meia-noite. São 18h de textos inéditos feitos pela equipe de 10 jornalistas da redação e também por mais de três dezenas de colaboradores eventuais.

E ainda temos 3 programas diários no YouTube. O Fórum Café, com Cris Coghi e Plínio Teodoro, o Fórum Onze e Meia, com Dri Delorenzo e este editor, e o Jornal da Fórum, com Cynara Menezes. Além de vários outros programas semanais, como o Fórum Sindical, apresentado pela Maria Frô.

Tudo envolve custos. E é uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar neste ano, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

É fácil. Clique em apoiar e escolha a melhor forma de escolher a Fórum em 2021.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR