Quilombo

por Dennis de Oliveira

09 de abril de 2019, 22h12

O que o macho adulto branco oferece é a pura barbárie

No Blog Quilombo, Dennis de Oliveira destaca: “A barbárie do macho adulto branco ocorre porque ele perdeu totalmente o sentido. Este tipo que se constituiu como um sujeito dominante está em profunda decadência”

Os vestígios de qualquer civilização no Brasil desaparecem sob cada uma das trapalhadas e bizarrices do atual governo federal. Entre as idiotices proferidas pela ministra da Família, os destemperos do ministro-especulador da Economia, os itens fakes do currículo do novo ministro da Educação, as tolices mimadas dos filhinhos do presidente, os atropelos gramaticais do ministro da Justiça e as sabujices aos Estados Unidos do presidente da República; mulheres são agredidas, jovens negros são assassinados e agredidos e a impunidade dos seus autores é a regra geral.

Domingo, soldados do Exército dispararam 80 – isto mesmo, OITENTA – tiros contra o carro de uma família que voltava de um chá de bebê, matando o músico Evaldo Rosa dos Santos. E a alegação é que foi um “engano”…

No domingo, um casal de homens brancos, bolsonaristas, acharam-se no direito de agredir uma mulher na Avenida Paulista simplesmente porque ela estava indo a um ato em defesa da liberdade de Lula. A mulher foi covardemente agredida pelos dois homens e ainda foi algemada pela Polícia Militar…

A 8ª Câmara Criminal de Justiça do Rio de Janeiro absolveu dia 13 de março quatro dos 12 policiais envolvidos na tortura, assassinato e ocultação do cadáver do trabalhador Amarildo de Souza ocorrido em julho de 2013.

E, por aí afora, meninas e meninos negros vão sendo importunados por policiais por serem negros, ameaçados e atacados por forças de segurança, fugindo das miras dos revolveres e fuzis – e ainda com o risco dos seus algozes serem inocentados, principalmente se for aprovado o tal pacote anticrime do ex-juiz, que atropela a língua portuguesa, em que policiais podem ser inocentados caso matem em caso de extrema emoção. (sic)

É a barbárie completa protagonizada pelo discurso de ódio do macho adulto branco.

E antes que venham os imbecis nos comentários dizer que nem todo policial é branco, digo que macho adulto branco é um arquétipo (isto é difícil entender para quem considera Moro um cara “inteligente”).

São pessoas que colocam o tipo do homem branco adulto como acima de qualquer suspeita. Ou que votam em um presidente que monta um governo com esmagadora maioria de pessoas com este tipo. E que defende ações de repressão que nitidamente atingem jovens negras e negros.

A barbárie do macho adulto branco ocorre porque ele perdeu totalmente o sentido. Este tipo que se constituiu como um sujeito dominante está em profunda decadência. Nas universidades é nítida a maioria feminina em grande parte dos cursos. O grau de instrução das mulheres é superior ao dos homens.

Jovens negras e negros que ingressaram nas universidades públicas pelas cotas demonstraram sua plena capacidade de acompanhar os cursos superiores, desmentindo na prática os argumentos racistas de que não teriam bom desempenho acadêmico.

Em todos movimentos sociais, as bases de sustentação são de mulheres negras.

O que o arquétipo do macho adulto branco tem a oferecer hoje é violência. É fazer sinal de arminha na mão. Defender assassinatos. Assediar mulheres. Agredir homossexuais. Desespero de um tipo que não faz mais nenhum sentido em uma civilização.

O poder do macho adulto branco é a barbárie que dispara 80 tiros contra o carro de uma família que está voltando de um chá de bebê.

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Revista Fórum.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum