Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como

#Opinião

01 de agosto de 2018, 15h21

O presepeiro compulsório

Charles Carmo, em novo artigo, escreve: “Antigamente, ser presepeiro era facultativo, hoje é obrigatório. Isso começou a mudar com os designers de tênis e os estilistas de roupas de ginástica. Como os detesto”


31 de julho de 2018, 17h36

Cartas do Pai: “O olho do furacão”

O problema é que na política, muita gente, quando para de ouvir o barulho, acha que está tudo bem, e não sai de casa pra olhar. Não vê que o furacão ainda está em volta do país, levando tudo


31 de julho de 2018, 13h25

O risco da privatização do setor de saneamento básico

Elika Takimoto, em novo artigo, alerta para os efeitos da medida provisória, assinada em dia de jogo do Brasil na Copa da Rússia, que pode prejudicar a população, especialmente a mais pobre


31 de julho de 2018, 11h36

Presidente do Equador se alia aos EUA para extraditar Julian Assange

Lenin Moreno articula acordo com o governo norte-americano, com o objetivo de extraditar o jornalista, escritor e ativista australiano, preso desde 2012 na Embaixada do Equador em Londres


31 de julho de 2018, 11h13

Impressões nada sérias sobre a FLIP

Crônica de Tomaz Amorim Izabel sobre a FLIP 2018, suas impressões do Centro Histórico de Paraty e a programação diversa da festa


30 de julho de 2018, 14h47

Como a mídia apoia Bolsonaro e faz o povo acreditar que não

As grandes corporações empresariais e midiáticas apoiam a política econômica do candidato do PSL, mas o criticam superficialmente. O povo que, por sua vez, não morre de amores pela mídia, acha que Bolsonaro está sendo vítima do poder manipulador da imprensa, mas, na verdade, o povo é quem é a vítima de uma farsa muito bem orquestrada


30 de julho de 2018, 11h54

Crimes de guerra de Israel (II): limpeza étnica

Yuri Martins Fontes aborda, em novo artigo, o conflito Israel-Palestina: “Autodefesa” como discurso legitimador do pior genocídio do novo século”


29 de julho de 2018, 11h51

O que a esquerda quer dizer quando defende que a igualdade social é possível?

Não há nenhum valor em nascer na Nigéria ou na Noruega, na Grécia ou na Alemanha. Isso é acidental. Não deveria ser o suficiente para definir o destino de uma vida.


27 de julho de 2018, 18h21

“Se a classe operária tudo produz, a ela tudo pertence”? Não é bem assim…

"A questão é o uso que se faz do produto. Isto é, tudo que a burguesia criou pode ser usado contra ela. Não é a toa que Marx afirmou que 'a burguesia será o seu próprio coveiro'. O problema não é o produto, mas a alienação do trabalho".


27 de julho de 2018, 14h13

Assassinato da estudante brasileira na Nicarágua revela timing da guerra híbrida

O assassinato da estudante brasileira de medicina na Nicarágua, em meio à violência nas manifestações contra o governo Daniel Ortega, é mais uma evidência de que a crise naquele país segue o roteiro já visto das guerras híbridas no Brasil e no mundo. Timing perfeito.


27 de julho de 2018, 14h12

Notas internacionais: Novo Banco de Desenvolvimento dos BRICS será em São Paulo

Em sua coluna, Ana Prestes fala sobre a assinatura do Acordo de Sede do Escritório Regional para as Américas do Novo Banco de Desenvolvimento dos BRICS, que será em São Paulo



26 de julho de 2018, 16h25

Linchamentos em tempos de fake news

"A presunção da culpa é um dos pilares da revolução da tecnologia da comunicação (...) Em tempo de Fake News, dependendo de como soa o 'eco', tudo vira verdade, principalmente se o propósito for linchar um desafeto ou atrair um contrato"


25 de julho de 2018, 14h36

Lulu Santos ou a “bicha velha” na sociedade do Instagram

"O cantor Lulu Santos postou uma foto ao lado de seu namorado, assim, como quem deseja apenas compartilhar um momento de felicidade e pronto, foi o suficiente para acompanharmos o que há de mais triste na atual geração e aquela que se criou na década de 1990: ojeriza à velhice e preconceito com casais com diferença de idade"


24 de julho de 2018, 20h31

Expectativas irreais sobre intervenções médica e uso excessivo dos serviços. Como podemos mudar?

Nossas expectativas sobre os benefícios e malefícios de testes e tratamentos podem contribuir para o jeito que usamos os serviços de saúde, e podem contribuir para o uso excessivo de serviços. A expectativa de que os médicos vão tomar alguma atitude ativa, e o excesso de confiança nos exames também são contribuidores da epidemia de sobrediagnóstico