Quem disse que a vida precisa ter um propósito?, por Raphael Fagundes

A manipulação do futuro é uma das principais formas de controle social, pois consegue manejar o destino individual, obrigando as pessoas a se submeterem a condições alienantes

Embora seja uma corporação que tem como objetivo lucrar em cima de ideologias que alimentam o consumo de seus produtos, a Disney apresenta algumas animações reflexivas. O crítico cultural Henry Giroux destaca um ponto imprescindível para compreendermos as animações da empresa: “é importante discutir os filmes animados da Disney sem simplesmente condená-la como uma empresa ideologicamente reacionária, promovendo, de forma mistificadora e sob o disfarce do entretenimento, uma visão conservadora do mundo; mas tampouco devemos simplesmente celebrá-la como uma fonte de alegria e felicidade para as crianças de todo o mundo”.

Assim como na literatura, o enredo de um filme pode ser interpretado de forma aberta, plurissignificativamente e, embora não pretenda responder nenhuma questão da realidade social, levanta questionamentos importantes.

Na animação Soul, faz-se a seguinte indagação: por que é preciso ter um propósito? A vida de fato precisa de um?

Em seu livro intitulado “Futuros imaginados”, Richard Barbrook mostra-nos como a indústria do entretenimento do império norte-americano vem produzindo há décadas uma ideologia que determina um futuro tecnológico que acabou por acorrentar o presente, impedindo este de almejar outras alternativas. O que se alimentou (principalmente ao longo da Guerra Fria) a partir daí foi uma produção exagerada de lixo tecnológico, uma vida consumista que serve de fachada para sustentar o extermínio da própria raça humana.

A sociedade capitalista força o cidadão a aspirar um emprego que possa considerá-lo bem sucedido, um consumidor respeitável. Manipula os nossos objetivos para que foquemos em viagens, carros do ano e bugigangas tecnológicas. Quando não atingimos estes objetivos impostos, futuros que nos obrigaram a imaginar, ficamos frustrados, entramos em depressão e somos considerados perdedores.

Mas quem disse que tem que ser assim? Por que não apenas viver? Sentir o cheiro da natureza, dançar, contemplar a beleza do céu azul? É disso que se trata esta formidável animação da Disney-Pixar.

Lançada no período das festas de fim de ano, no qual as pessoas traçam metas e se cobram por não terem realizado aquilo que prometeram no ano que passou, o filme nos mostra uma reflexão extremamente útil para pensarmos nessa pressão que fazemos sobre nós mesmos.

A manipulação do futuro é sem dúvida uma das principais formas de controle social, pois ele consegue manejar o destino individual, obrigando as pessoas a se submeterem a condições alienantes, extremas, para que consigam alcançar aquilo que foi imposto a elas. E o mais cruel é que de fato pensamos que foram metas traçadas por nós mesmos e não uma imposição forjada propositalmente para fazer com que o sistema funcione.

Daí surge a exploração no trabalho, o consumismo e o individualismo capazes de fazer com que um passe por cima do outro apenas para atingir seus objetivos.

Para a construção de uma sociedade mais justa, solidária e humana, é preciso repensar o futuro que queremos, tanto em termos sociais quanto individuais. Será que realmente precisamos chegar ao ponto que determinaram por nós?

Avatar de Raphael Silva Fagundes

Raphael Silva Fagundes

Doutor em História Política na UERJ. Professor da rede municipal do Rio de Janeiro e de Itaguaí.

Em 2021, escolha a Fórum.

Todos os dias Fórum publica de 80 a 100 matérias desde às 6h da manhã até à meia-noite. São 18h de textos inéditos feitos pela equipe de 10 jornalistas da redação e também por mais de três dezenas de colaboradores eventuais.

E ainda temos 3 programas diários no YouTube. O Fórum Café, com Cris Coghi e Plínio Teodoro, o Fórum Onze e Meia, com Dri Delorenzo e este editor, e o Jornal da Fórum, com Cynara Menezes. Além de vários outros programas semanais, como o Fórum Sindical, apresentado pela Maria Frô.

Tudo envolve custos. E é uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar neste ano, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

É fácil. Clique em apoiar e escolha a melhor forma de escolher a Fórum em 2021.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR