Salvemos nossas crianças de Bolsonaro! – Por Zé Barbosa

É um absurdo o projeto de malignidade que Bolsonaro impõe sobre nossas crianças, impedindo sua infância, trazendo um senso de violência e intolerância desde cedo

Um dos temas mais recorrentes no texto bíblico é a educação das crianças. “Ensina a criança no caminho que deve andar, e até quando ficar velho não se desviará dele” talvez seja um dos versículos mais lembrados quando o tema é este. E, não, o texto não fala de doutrina, o texto fala de “caminho”. Caminho é vida, doutrina é catequese.

Por essas e outras, o que se esperaria de cristãos, que dizem seguir a Bíblia, que não fosse a preocupação com a vida das crianças, e o ensino de um caminho de paz, amor, tolerância e não violência? Pois é exatamente o contrário, abertamente realizado por Bolsonaro e sua trupe, que é celebrado pela igreja que se diz cristã no Brasil.

Não foi a primeira vez (e nem será a última) que o atual presidente do país aparece em uma foto, trazendo ao seu lado uma criança armada. Sim, uma CRIANÇA ARMADA. “- A arma é de brinquedo!”, argumentarão alguns, como se isso resolvesse o fato de que, seja de brinquedo ou não, a mensagem de violência está sendo ensinada para essa criança. Ela está aprendendo que não há nada de errado em segurar um fuzil, por exemplo. O mais interessante é que são as mesmas pessoas que celebram a matança da juventude negra, principalmente quando estão portando armas, porque, se estão armados, “-era para matar, roubar ou fazer o mal…”

É um absurdo o projeto de malignidade que Bolsonaro impõe sobre nossas crianças, impedindo sua infância, trazendo um senso de violência e intolerância desde cedo. Se bem que, não muito diferente da doutrinação anticientífica, perversa, preconceituosa e desrespeitosa que muitas igrejas fazem com suas crianças, ensinando-as a serem “soldadinhos de Jesus”, na “guerra” contra os inimigos, geralmente religiões de matrizes africanas, LGBTQIA+, feminismo e outras coisas “perigosíssimas” a quem quer impor um sistema ditatorial sob a égide de um “deus acima de todos”. Isso é pura maldade com nossas crianças.

Por favor, se queremos um Brasil decente (não no sentido moralista da palavra), justo, acolhedor, tolerante e respeitoso, salvemos nossas crianças do bolsonarismo, da perversidade. Salvemos nossas crianças de Bolsonaro e tudo de ruim que ele representa. Não tenho dúvidas de que é isso o que agrada a Deus: que nossas crianças sejam crianças, não adultizadas e violentas, que celebrem a diversidade de credos, cores, raças e orientações sexuais. Que o amor prevaleça… Ensine o amor para o seu filho, para a sua filha… e mais que ensinar, AME! O amor liberta do mal.

É o amor que vencerá o bolsonarismo. É o afeto que derrubará Bolsonaro e quem o segue!

PS.: Em tempo, hoje, 12 de outubro, minha querida amiga Aline Calixto lançou o seu CD infantil “Pontinhos de Amor”. Um sopro de esperança contra a intolerância/racismo religioso. Já está disponível em todas as plataformas digitais. Ouça, compartilhe com seus filhos e filhas e ensine desde já a respeitar a fé alheia… já é um grande passo para um país melhor!

**Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Revista Fórum.

Publicidade
Avatar de Zé Barbosa Junior

Zé Barbosa Junior

Teólogo, escritor, pastor da Comunidade Batista do Caminho em Campina Grande - PB

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR