Americano morre um mês após postar: “tenho 99 problemas, mas vacina não é um deles”

História foi lembrada por Felipe Neto em sua conta do Twitter. A morte de Stephen Harmon fortaleceu uma campanha de internautas encorajando as pessoas a tomarem a vacina

O blogueiro e empresário Felipe Neto republicou a história em sua conta do Twitter, neste sábado (31). Um americano do estado da Califórnia morreu um mês após tuitar: “tenho 99 problemas, mas vacina não é um deles”.

“Homem da California que tuitou, no dia 3 de junho: “Eu tenho 99 problemas, mas vacina não é um deles” (desdenhando da vacina) – morreu de Covid após 1 mês de batalha”.

Stephen Harmon tinha 34 anos e era pároco da Igreja Hillsong. Ele contraiu o coronavírus após fazer uma série de memes desdenhando o vírus e a vacina. Ele morreu em consequência da Covid-19 no dia 23 de julho, um mês depois de postar piadas sobre a pandemia.

Em seu último tweet em 21 de julho, no entanto, Harmon pediu aos apoiadores que orassem por ele antes de ser intubado.

“Por favor, orem, eles realmente querem me intubar e me colocar em um respirador”, escreveu. “Mesmo com os menores movimentos a minha frequência cardíaca dispara e a dependência de oxigênio aumenta.”

“Estou optando por fazer a intubação, lutei contra isso o máximo que pude, mas infelizmente chegou a um ponto de escolha crítica e, por mais que eu odeie ter que fazer isso, prefiro que seja de boa vontade do que um procedimento de emergência forçado. Não sei quando vou acordar, por favor, ore”, postou ainda.

A morte de Harmon fortaleceu uma campanha de internautas encorajando as pessoas a tomarem a vacina.

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR