O que o brasileiro pensa?
03 de julho de 2020, 15h52

Desaparecido no Twitter desde 2018, Aécio entra nos Trending Topics após ação contra Serra

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, criticou a comparação: "o caso de Aécio Neves é completamente diferente porque tem um áudio dele que até hoje não foi explicado pedindo dinheiro para a JBS"

Foto: George Gianni/ PSDB/Fotos Públicas

O nome do deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) ocupou a lista dos assuntos mais comentados do Twitter nesta sexta-feira (3) em razão da operação de busca e apreensão desencadeada pela Polícia Federal na manhã desta sexta-feira (3) contra o senador José Serra (PSDB-SP) e sua filha, a executiva Verônica Serra.

Aécio, que não usa a rede social desde de 2018, e passou um processo de pedido de expulsão do PSDB, voltou aos holofotes nesta sexta-feira. Diversos usuários nas redes sociais comentaram que o candidato à presidência em 2014 e um dos pivôs do golpe contra Dilma Rousseff, pode ser o próximo a ser pego pela Lava Jato.

Nas eleições de 2018, Aécio havia planejado se lançar inicialmente como senador, mas, para não chamar muita atenção e com o risco de perder a disputa, acabou concorrendo como deputado federal e saiu vitorioso.

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), comentou sobre a comparação entre Aécio e Serra e saiu em defesa do tucano paulista. “Não há nenhum áudio do senador José Serra pedindo dinheiro para ninguém. Eu, pelo menos, não escutei. São casos completamente distintos”, afirmou ao jornalista Dimitrius Dantas, do O Globo.

Covas, que foi um dos defensores da expulsão do mineiro, lembrou do gravação da conversa de Aécio Neves com Joesley Batista, um dos donos da JBS, quando o empresário fechou acordo de delação com a Procuradoria-Geral da República. Em um dos trechos o tucano teria dito que mataria seu primo se ele fosse delatá-lo. Leia aqui na íntegra.

“Não é porque é companheiro de partido que eu vou passar a mão na cabeça. Agora: o caso do Senador Aécio Neves é completamente diferente porque tem um áudio dele que até hoje não foi explicado pedindo dinheiro para a JBS”, concluiu Covas.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum