Eduardo Bolsonaro, que ganha R$33 mil mensais, pede dinheiro a apoiadores para pagar multa

Deputado abriu "vaquinha" online e gravou vídeo com tom apelativo para angariar dinheiro e pagar as multas aplicadas por Doria pelo desrespeito ao uso obrigatório de máscara na "motocada" de Bolsonaro

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), junto com outros deputados bolsonaristas, como Carla Zambelli (PSL-SP) e Hélio Lopes (PSL-RJ), estão pedindo dinheiro a apoiadores para pagar as multas aplicadas por João Doria (PSDB) na ocasião da “motocada” de Jair Bolsonaro em São Paulo, no dia 12 de junho.

Na ocasião, o presidente, deputados bolsonaristas e outros membros da comitiva presidencial foram autuados por não respeitarem o uso obrigatório de máscara de proteção. O valor da multa é de R$ 552 para cada um.

Apesar de ganhar, mensalmente, mais de R$33 mil, Eduardo Bolsonaro resolveu criar uma “vaquinha” online para que apoiadores doem dinheiro e, assim, as multas sejam pagas. O deputado, Carla Zambelli e Hélio Lopes, inclusive, gravaram um vídeo com tom apelativo e emotivo em que se dizem “perseguidos” para conseguir as doações.

Notícias relacionadas

Eles não informam quantas multas serão pagas com o valor arrecadado, mas dizem que o que sobrar será doado para instituições de caridade.

Até o momento, o grupo bolsonarista já conseguiu juntar mais de R$84 mil, sendo que a meta é R$100 mil.

Multa

O governo de João Doria (PSDB) multou o presidente Jair Bolsonaro por não usar máscara durante aglomeração com apoiadores na manhã do dia 12 de junho, na “motocada” “Acelera para Cristo”. Cerca de 6 mil motocilcistas participaram do evento de tom político do titular do Planalto.

Além de Bolsonaro, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, e o ministro da Infraestutura, Tarcísio Gomes, também foram autuados. Todos estavam sem máscaras. O valor da multa é de R$ 552 para cada um.

“O documento endereçado às três autoridades pontua a necessidade da manutenção das medidas preventivas já conhecidas e preconizadas pelas autoridades sanitárias internacionais, como uso de máscara e distanciamento”, diz nota do governo paulista.

Bolsonaro já havia sido autuado pelo governo Flávio Dino (PSB), do Maranhão, por causar aglomeração e não usar máscara de proteção facial em evento em Açailândia (a 560 km de São Luís), no dia 21 de maio.

Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista, editor de Política, desde 2014 na revista Fórum. Formado pela Faculdade Cásper Líbero (SP). Twitter @ivanlongo_

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR