sábado, 24 out 2020
Publicidade

Em dois meses, produtora bolsonarista gastou R$ 319 mil em anúncios no Facebook

Brasil Paralelo já produziu documentários com versão olavista sobre a pandemia e em defesa da ditadura militar

A produtora bolsonarista Brasil Paralelo gastou R$ 319 mil em anúncios no Facebook apenas entre agosto e setembro. De acordo com a Folha de S.Paulo, em reportagem publicada nesta quinta-feira (24), propagandas buscam levantar assinaturas para não deixar a empresa morrer.

A produtora foi responsável pelo filme “1964: O Brasil entre Armas e Livros”, que apresenta uma versão conservadora da ditadura militar e aborda o golpe como revolução. Além disso, empresa já produziu entrevistas com diversos nomes ligados ao bolsonarismo, como Olavo de Carvalho, Luiz Felipe Pondé e Luiz Philippe de Orléans e Bragança.

As produções da Brasil Paralelo foram elogiadas e compartilhadas pela família Bolsonaro, assim como por Olavo de Carvalho. Além do golpe de 1964, outros temas como educação e pandemia também foram abordados pela empresa, mas sempre com viés conservador.

“Quanto mais pessoas pagam a assinatura da Brasil Paralelo e se tornam membros, mais a gente converte o dinheiro em comunicação e propaganda dos nossos documentários”, diz Lucas Ferrugem, um dos sócios. “O membro tem acesso a uma série de benefícios, como cursos, e isso financia a divulgação dos documentários. É um ciclo positivo”, completa.

Luisa Fragão
Luisa Fragão
Jornalista.