“Médicos pela Liberdade”: Twitter suspende conta de grupo que propagava fake news sobre a pandemia

Perfil do grupo bolsonarista difundia informações falsas para questionar medidas de isolamento e promovia medicamentos como cloroquina e ivermectina, além do conceito de “tratamento precoce”

O Twitter decidiu nesta quinta-feira (11) suspender a conta do grupo Médicos pela Liberdade, por violar as regras da rede social no que diz respeito à propagação de fake news.

O perfil defendia o discurso do governo com relação à pandemia do coronavírus. Apesar de alegar “independência política”, o grupo se dedicava a difundir informações falsas para justificar os argumentos bolsonaristas a respeito da pandemia

As publicações que os Médicos pela Liberdade espalhavam entre os seus mais de 60 mil seguidores questionava as medidas de isolamento, promovia o uso de medicamentos indicados pelo presidente, como a cloroquina e a ivermectina, além do conceito de “tratamento precoce”.

A conta Sleeping Giants Brasil comemorou a decisão dos administradores da plataforma. “O Twitter Seguro (responsável por avaliar denúncias na rede social) suspende conta Médicos pela Liberdade, que propagava fake news sobre a covid-19. Parece que o Twitter Brasil anda cada vez mais atento ao seus termos de uso, o que acham?”, publicou.

Avatar de Victor Farinelli

Victor Farinelli

Jornalista formado pela Universidade Católica de Santos, há 15 anos é correspondente na Argentina (2004 e 2005) e no Chile (desde 2006).

Em 2021, escolha a Fórum.

Fazer jornalismo comprometido com os direitos humanos e uma perspectiva de justiça social exige apoio dos leitores. Porque se depender do mercado e da publicidade oficial de governos liberais esses projetos serão eliminados. Eles têm lado e sabem muito bem quem devem apoiar.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR