O que o brasileiro pensa?
06 de maio de 2020, 15h21

Mulher que disseminou fake news sobre caixões enterrados com pedras faz vídeo de desculpas

Valdete Pereira disse que não teve intenção de disseminar a informação falsa

Foto: Reprodução

Após disseminar a fake news de que caixões estariam sendo enterrados com pedra e madeira em Minas Gerais, Valdete Pereira Zanco pediu desculpas à população e autoridades.

Valdete gravou um vídeo, que divulgou nas redes sociais, colocando-se à disposição da polícia e pedindo desculpas. “Quero aqui diante de todos pedir desculpa, perdão. Não era a minha intenção, eu não propaguei”, afirmou.

Ela se dirigiu ao prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PHS), ao governador do estado, Romeu Zema (Novo) e às famílias que se sentiram ofendidas.

O primeiro vídeo divulgado por Valdete, que motivou uma investigação da polícia, questionava o número de mortos pelo coronavírus e afirmava que caixões estariam sendo enterrados com pedras e madeira dentro. “Aqui em Minas está acontecendo um caso muito engraçado. Principalmente lá em BH”, disse na gravação.

Valdete prestou depoimento à Polícia Civil em Jacutinga, sul de Minas Gerais, na última segunda-feira (4). Segundo o seu advogada, Alexsander Pereira, o vídeo foi compartilhado em um grupo de família e disseminado sem o consentimento da autora.

“Ela havia visto na rede social denominada Facebook um fato ocorrido no Município de Belo Horizonte/MG, do qual caixões haviam sido desenterrados e localizado em seu interior, pedras e pedaços de madeira”, disse Pereira, em nota.

Fake news sobre caixões sendo enterrados sem corpos têm sido disseminadas Brasil afora, principalmente por bolsonaristas, com o intuito de corroborar com a narrativa do presidente Jair Bolsonaro em minimizar a pandemia do coronavírus.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum