Paulo Coelho sugere maconha a Bolsonaro: “Planalto e seu rei nu se beneficiariam muito”

Escritor, que foi parceiro de Raul Seixas e mergulhou no movimento de contracultura dos anos 70 - que tinha como um dos bordões: "sexo, drogas e rock'n'roll" - afirma que não usa maconha desde 1982, mas reconhece os benefícios da planta

Morando na Suíça desde 2007 mas atento à vida política do Brasil, o escritor Paulo Coelho foi às redes neste domingo (8) fazer uma sugestão inusitada a Jair Bolsonaro: fumar maconha.

Paulo Coelho banca Festival de Jazz do Capão e impõe condição: que seja antifascista

O escritor, que foi parceiro de Raul Seixas e mergulhou no movimento de contracultura dos anos 70 – que tinha como um dos bordões: “sexo, drogas e rock’n’roll” – afirma que não usa maconha desde 1982, mas reconhece os benefícios da planta, que é vendida legalmente na Suíça.

“Eu não uso desde 1982, mas acho que acalma – o Planalto e seu rei nu se beneficiariam muito. À venda em qualquer supermercado”, tuitou Coelho.

https://twitter.com/paulocoelho/status/1424275311315886080

Notícias relacionadas

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR