O que o brasileiro pensa?
06 de julho de 2020, 20h13

PC Siqueira volta às redes sociais e compartilha foto de móveis quebrados: “A dor provoca força bruta”

Após esclarecer que voltaria a postar no YouTube, influencer compartilhou fotos de móveis quebrados no stories do Instagram; ele é investigado por envolvimento com pedofilia

Foto: Reprodução

O youtuber PC Siqueira voltou a postar nas redes sociais, após passar semanas sem fazer nenhuma publicação. Acusado de envolvimento com pedofilia, o influenciador apagou o próprio canal no Youtube e tornou privado o seu perfil no Instagram, mas compartilhou fotos de sua própria casa e alguns móveis quebrados. “A dor provoca força bruta”, disse.

Nos stories do Instagram, Siqueira afirmou que instalou uma cortina para que os vizinhos não pudessem mais observá-lo, e que ficou “torta como ele”. “Com toda dor que uma pessoa pode sentir antes de enlouquecer instalei a cortina”, escreveu. “Mas a dor provoca força bruta e quebrei alguns móveis”, disse, compartilhando fotos de uma poltrona e mesa quebradas.

Depois das postagens, Siqueira compartilhou mais alguns detalhes da casa e explicou o ocorrido. “Os móveis quebraram durante a montagem, porque fui empurrar e não tenho força devido à dor crônica”, disse. “Não tô quebrando as coisas de propósito”, escreveu, acrescentando que a poltrona já havia sido montada e explicando que desejava instalar a cortina há muito tempo porque “a janela é enorme e fica diretamente para a sala dos vizinhos”.

O youtuber ainda postou uma foto da poltrona quebrada no Instagram, utilizando um trecho da música “A casa”, de Vinicius de Moraes.

No último dia 21, o youtuber havia quebrado o silêncio ao agradecer a “quem não virou as costas” e esclarecendo: “Meu canal tá só desativado. Volto com ele e com os vídeos depois que esse pandemônio passar”.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum