Regina Duarte repete Sérgio Camargo e Morgan Freeman e ataca Dia da Consciência Negra

Freeman já mudou de ideia faz muito tempo, mas seu vídeo segue sendo compartilhado por algumas pessoas no Brasil no dia 20 de novembro

Regina Duarte, de 74 anos, atriz e ex-secretária de Cultura do governo de Jair Bolsonaro (Sem Partido), pediu em sua conta do Instagram o “Dia da Consciência Branca” em protesto contra o Dia da Consciência Negra, que foi celebrado neste sábado (20). A atriz usou vídeo antigo com entrevista do ator americano Morgan Freeman, que já mudou de ideia, falando sobre o tema.

Na entrevista, Freeman fala que para “combater o racismo é melhor não falar do tema”. Na legenda, ela questionou sobre quando haverá o dia dedicado a pessoas brancas.

Regina Duarte repetiu a ideia em sua conta do Instagram e foi alvo de muitas críticas: “Ontem, foi comemorado o Dia da Consciência Negra. Quando teremos o Dia da Consciência Branca, Amarela, Parda? Quanto tempo vamos ainda nos vitimizar ao peso de anos, de séculos de dor por culpas antepassadas?”, pergunta.

“Quando vamos parar de olhar para trás e enfrentar o hoje e nós olharmos com a coragem da cara limpa? Maduros, evoluídos, conscientes de nossa luta, irmanados em nossa capacidade, de sermos? HUMANOS? Simplesmente IRMÃOS?”

O vídeo de Morgan Freeman tem mais de uma década. Ele já mudou de ideia e aderiu a, entre outros, o movimento Black Lives Matter”.

O vídeo de Freeman foi compartilhado também pelo presidente da Fundação Palmares Sérgio Camargo.

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR