No rastro do crime ambiental nas praias do Nordeste
09 de fevereiro de 2012, 13h56

Toques Musicais

Por Julinho Bittencourt

 

 

No último mês de março tivemos outro Carnaval, a maior e mais conhecida festa popular deste país repleto de festas. Naquela semana, em todos os cantos e regiões, cada uma à sua maneira, se passou, mais uma vez, aquela que talvez seja a maior festa negra do mundo fora do continente africano.

A despeito de exageros midiáticos aqui e acolá, a extrema criatividade do povo brasileiro é celebrada neste período numa explosão infinda de sensualidade e beleza. Uma cultura profusa e rica que, sem a menor sombra de dúvidas, tem como ponto de partida o tráfico de escravos africanos para o Brasil iniciado há quase quinhentos anos.

E este momento terrível e fundamental para a formação da nossa etnia e herança cultural nos remete, entre outros lugares, à emblemática Ilha de Gorée, no Senegal. Do local, conhecido como “Porta da viagem sem retorno”, calcula-se que tenham partido para o novo mundo, especialmente para a costa brasileira, mais de um milhão de escravos. Entre eles, diversas crianças, que aguardavam dentro de uma pequena cela a hora de ganhar o Atlântico e perder, ainda na primeira idade, seus parentes, seu país e sua cultura, de forma definitiva e irreversível.

Continue lendo aqui.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum