Imprensa livre e independente
17 de junho de 2019, 08h18

Rodrigo Maia se diz “perplexo” com a fritura de Joaquim Levy promovida por Paulo Guedes

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e deputados aliados criticaram a papel da equipe econômica de Bolsonaro, principalmente do ministro Paulo Guedes, na saída de Joaquim Levy do BNDES; movimentação pode trazer consequências no Congresso.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia e o ministro da economia, Paulo Guedes (Agência Brasil)
A renúncia do presidente do BNDES e ex-ministro Joaquim Levy, não ecoou bem no Congresso Nacional. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e deputados aliados criticaram a atuação da equipe econômica de Bolsonaro, principalmente do ministro da Fazenda Paulo Guedes. Para eles, esse novo conflito pode desencadear em consequências políticas na área da economia. Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo Às jornalistas Camila Turtelli e Adriana Fernandes, do Estado de S. Paulo, Rodrigo Maia disse ter ficado perplexo com a fritura promovida por Guedes antes saída de Levy. Para ele, a...

A renúncia do presidente do BNDES e ex-ministro Joaquim Levy, não ecoou bem no Congresso Nacional. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e deputados aliados criticaram a atuação da equipe econômica de Bolsonaro, principalmente do ministro da Fazenda Paulo Guedes. Para eles, esse novo conflito pode desencadear em consequências políticas na área da economia.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

Às jornalistas Camila Turtelli e Adriana Fernandes, do Estado de S. Paulo, Rodrigo Maia disse ter ficado perplexo com a fritura promovida por Guedes antes saída de Levy. Para ele, a equipe econômica do governo têm sido uma “usina de crises”.

Outros parlamentares da base aliada também lamentaram a saída de Levy e criticaram a participação de Bolsonaro no episódio. Uma das consequências que podem aparecer com esse novo desgaste é a limitação do papel do Executivo na Reforma Tributária, a próxima grande reforma planejada.

“A equipe econômica começa a tumultuar a parte política. O Congresso tem sido parceiro do Brasil e vai tocar todas as reformas. Temos de assumir o protagonismo”, afirmou o líder do Podemos na Câmara, José Nelto (GO). “O governo tem sido inconstante. Muda as coisas, como quem muda de camisa. Ninguém pode ensinar o governo a governar”, criticou o líder do PL (antigo PR), Wellington Roberto (PB).

Veja também:  Governo Bolsonaro quer acabar com liberação de FGTS em demissão sem justa causa

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum