Imprensa livre e independente
26 de outubro de 2018, 18h25

Rosa Weber diz que TSE vai apurar “eventuais excessos” em invasões de universidades

“O TSE está adotando todas as providências cabíveis, por meio da Corregedoria-Geral da Justiça Eleitoral, para esclarecer as circunstâncias e coibir eventuais excessos no exercício de poder de polícia eleitoral no âmbito das universidades”

Foto: José Cruz/Agência Brasil A ministra Rosa Weber, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), anunciou que a Justiça Eleitoral vai investigar a conduta dos juízes, que autorizaram invasões de policiais e de fiscais em universidades públicas, para apurar suposta realização de propagandas eleitorais irregulares. Os atos de censura e repressão vêm acontecendo em inúmeras instituições universitárias, de acordo com informações de André Richter, da Agência Brasil. No início da sessão do TSE na tarde desta sexta-feira (26), última antes do segundo turno das eleições, Rosa Weber defendeu a liberdade de manifestação de pensamento nas universidades e disse que “eventuais excessos” devem...

Foto: José Cruz/Agência Brasil

A ministra Rosa Weber, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), anunciou que a Justiça Eleitoral vai investigar a conduta dos juízes, que autorizaram invasões de policiais e de fiscais em universidades públicas, para apurar suposta realização de propagandas eleitorais irregulares. Os atos de censura e repressão vêm acontecendo em inúmeras instituições universitárias, de acordo com informações de André Richter, da Agência Brasil.

No início da sessão do TSE na tarde desta sexta-feira (26), última antes do segundo turno das eleições, Rosa Weber defendeu a liberdade de manifestação de pensamento nas universidades e disse que “eventuais excessos” devem ser investigados.

“O TSE está adotando todas as providências cabíveis, por meio da Corregedoria-Geral da Justiça Eleitoral, para esclarecer as circunstâncias e coibir eventuais excessos no exercício de poder de polícia eleitoral no âmbito das universidades de diversos estados da Federação”, afirmou a ministra.

Durante a sessão, a procuradora-geral, Raquel Dodge, também anunciou que ingressou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para assegurar a liberdade de reunião e de manifestação nas universidades públicas.

Veja também:  Frota provoca Bolsonaro por aposentadorias e nepotismo

Opiniões

Outros ministros do STF se manifestaram a respeito das ações policiais: Gilmar Mendes pediu disse que “as universidades do país são extremamente vitais e que nem todas as manifestações feitas nesses locais traduzem manifestações de apoio”. Por isso, disse que é preciso lidar com o fato “com um certo espírito de compreensão e de tolerância”.

O ministro Luís Roberto Barroso disse que não se pronuncia sobre “casos concretos”, mas afirmou que a polícia, como regra, só deveria entrar em universidades para estudar.

Marco Aurélio Mello, por sua vez, destacou que “universidade é campo do saber” e que a interferência no saber é, de regra, “indevida”. Ele disse falar de forma “geral”, e não especificamente sobre a Justiça Eleitoral, mas afirmou que a época é de “extremos” e, por isso, a atuação é “perigosa” ao estado democrático de direito.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum