Imprensa livre e independente
14 de fevereiro de 2019, 20h02

Rosa Weber pede explicações a ministro da Educação que chamou brasileiros de ladrões

Em entrevista à Veja, Ricardo Vélez Rodríguez declarou que “o brasileiro viajando é um canibal. Rouba coisas dos hotéis, rouba assento salva-vidas do avião”

Foto: Divulgação/TV MEC
Rosa Weber, ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), notificou Ricardo Vélez Rodríguez, ministro da Educação, para que apresente explicações a respeito de uma entrevista concedida à Veja. Na oportunidade, o colombiano declarou que o brasileiro é um “canibal” ao viajar e que rouba “coisas dos hotéis”. Vélez tem dez dias para apresentar explicações, de acordo com informações de Rosanne D’Agostino, do G1. “O brasileiro viajando é um canibal. Rouba coisas dos hotéis, rouba assento salva-vidas do avião; ele acha que sai de casa e pode carregar tudo. Esse é o tipo de coisa que tem que ser revertido na escola”,...

Rosa Weber, ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), notificou Ricardo Vélez Rodríguez, ministro da Educação, para que apresente explicações a respeito de uma entrevista concedida à Veja.

Na oportunidade, o colombiano declarou que o brasileiro é um “canibal” ao viajar e que rouba “coisas dos hotéis”. Vélez tem dez dias para apresentar explicações, de acordo com informações de Rosanne D’Agostino, do G1.

“O brasileiro viajando é um canibal. Rouba coisas dos hotéis, rouba assento salva-vidas do avião; ele acha que sai de casa e pode carregar tudo. Esse é o tipo de coisa que tem que ser revertido na escola”, afirmou, durante a entrevista.

Crime contra a honra

A interpelação judicial foi apresentada ao STF por um advogado, que acusa Vélez de calúnia e difamação. O ministro pode apresentar ou não explicações. Depois, o advogado pode decidir se apresenta ação por crime contra a honra.

“As acusações do senhor Vélez, além de demonstrarem que dito alienígena não é merecedor da naturalização brasileira que lhe foi concedida, muito menos o é de ser ministro de Estado da Educação”, afirmou o advogado.

Veja também:  De olho em vaga no STF, Bretas afirma: "Não sei se sou terrivelmente evangélico, mas sou fiel"

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum