Imprensa livre e independente
10 de fevereiro de 2018, 13h43

Segovia volta atrás e nega que PF vá arquivar investigação de Temer sobre Decreto dos Portos

O diretor-geral da corporação afirmou, em mensagem enviada a colegas no WhatsApp, que “em momento algum” falou que seria arquivada a apuração que investiga o envolvimento de Ter em propinas no Porto de Santos.

O diretor-geral da corporação afirmou, em mensagem enviada a colegas no WhatsApp, que “em momento algum” falou que seria arquivada a apuração que investiga o envolvimento de Ter em propinas no Porto de Santos. Da Redação* O diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, afirmou neste sábado (10,) em mensagem enviada a colegas no WhatsApp, que “em momento algum” falou que seria arquivada a apuração que investiga o Decreto dos Postos e envolve Michel Temer. O dirigente havia dito que as investigações da Polícia Federal não encontraram provas de irregularidades. “Em momento algum falei que a investigação vai ser arquivada. Falei...

O diretor-geral da corporação afirmou, em mensagem enviada a colegas no WhatsApp, que “em momento algum” falou que seria arquivada a apuração que investiga o envolvimento de Ter em propinas no Porto de Santos.

Da Redação*

O diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, afirmou neste sábado (10,) em mensagem enviada a colegas no WhatsApp, que “em momento algum” falou que seria arquivada a apuração que investiga o Decreto dos Postos e envolve Michel Temer. O dirigente havia dito que as investigações da Polícia Federal não encontraram provas de irregularidades.

“Em momento algum falei que a investigação vai ser arquivada. Falei que o delegado Cleyber tem total independência na condução das investigações. Disse que ele está fazendo uma cabal apuração de todos os fatos. Infelizmente, dei uma opinião pessoal no final da entrevista. Se pareceu que havia uma intervenção foi por causa do repórter que deu a interpretação que quis ao conjunto da entrevista”, afirmou na primeira mensagem enviada às 8h45. Seus relatos foram publicados no blog do Fausto Macedo, no Estado de S.Paulo.

Veja também:  A censura avança e Brasil já vive uma ditadura pós-moderna de novo tipo

À Reuters, o diretor da PF havia dito que não existem indícios de que a empresa Rodrimar tenha sido beneficiada pelo decreto, editado, em 2017. A PF investiga se a medida que ampliou para 35 anos as concessões do setor favoreceu a empresa. Além de Temer, são investigados o ex-assessor da presidência Rodrigo Rocha Loures, o presidente da Rodrimar, Antônio Grecco, e o diretor da empresa Ricardo Mesquita.

Em outra mensagem, Segovia avisou a seus pares que vai “publicar uma nota de esclarecimento à imprensa, onde será reafirmada a independência e o respeito ao DPF Cleyber, o qual pode reafirmar que jamais houve ou haverá interveniência da DG (Diretoria-Geral) em qualquer investigação na PF”.

*Com informações de Estado de S.Paulo

Foto: Leonardo Duarte/Secom

 

 

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum