Imprensa livre e independente
14 de junho de 2016, 12h34

Serra é citado em acordo de delação premiada da OAS

Chanceler do governo interino de Michel Temer é acusado de se beneficiar em esquema de financiamento ilícito para campanha eleitoral.

Chanceler do governo interino de Michel Temer é acusado de se beneficiar em esquema de financiamento ilícito para campanha eleitoral Por Redação A negociação para firmar acordo de delação premiada da OAS na Lava Jato colocou mais um nome no processo de investigação. Chanceler do governo interino de Michel Temer, José Serra (PSDB) apareceu como beneficiário de financiamento ilícito para campanha eleitoral. A empresa teria prometido dar mais informações sobre o envolvimento dele e de mais uma centena de políticos com práticas de corrupção, segundo informou a colunista Mônica Bergamo. Serra ainda pode ter seu nome envolvido em outros escândalos, pois a Odebrecth ficou de dar detalhes sobre...

Chanceler do governo interino de Michel Temer é acusado de se beneficiar em esquema de financiamento ilícito para campanha eleitoral

Por Redação

A negociação para firmar acordo de delação premiada da OAS na Lava Jato colocou mais um nome no processo de investigação. Chanceler do governo interino de Michel Temer, José Serra (PSDB) apareceu como beneficiário de financiamento ilícito para campanha eleitoral.

A empresa teria prometido dar mais informações sobre o envolvimento dele e de mais uma centena de políticos com práticas de corrupção, segundo informou a colunista Mônica Bergamo.

Serra ainda pode ter seu nome envolvido em outros escândalos, pois a Odebrecth ficou de dar detalhes sobre uma planilha encontrada durante as investigações. O documento possui uma lista de mais de duzentos políticos que teriam recebido propina da empreiteira. Entre eles, o senador e presidente do PSDB, Aécio Neves.

Veja também:  Embaixador, por que não?!, por Marcos Danhoni

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum