Imprensa livre e independente
06 de maio de 2017, 08h20

SP: Alckmin paga por 65 trens, mas população só recebe 11

De 65 unidades, apenas 20 foram entregues e apresentam mais de 200 defeitos. Só 11 estão operando nas linhas da CPTM

De 65 unidades compradas, apenas 20 foram entregues e apresentam mais de 200 defeitos. Só 11 estão operando nas linhas da CPTM Da Redação* O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), acertou a compra de 65 trens em 2016 para a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). No entanto, até agora apenas 20 unidades foram entregues, e só 11 estão operando. É o que aponta relatório do Ministério Público (MP). Se não bastasse o atraso, o relatório ainda mostra que as novas composições ainda apresentaram mais de 200 falhas em um período de seis meses. A compra dos trens...

De 65 unidades compradas, apenas 20 foram entregues e apresentam mais de 200 defeitos. Só 11 estão operando nas linhas da CPTM

Da Redação*

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), acertou a compra de 65 trens em 2016 para a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). No entanto, até agora apenas 20 unidades foram entregues, e só 11 estão operando. É o que aponta relatório do Ministério Público (MP).

Se não bastasse o atraso, o relatório ainda mostra que as novas composições ainda apresentaram mais de 200 falhas em um período de seis meses.

A compra dos trens custou quase R$ 2 bilhões e foi acertada com duas empresas: a espanhola CAF e a sul-coreana Hyundai/Rotem. A CAF ficou encarregada de entregar 35 composições e, a Hyundai/Rotem, as outras 30, ambas em 2016. As duas companhias são investigadas por formação de cartel em contratos firmados durante a gestão PSDB em São Paulo.

*Com informações do Bom Dia Brasil

Veja também:  Diplomata, Marcelo Calero dispara contra fala de Bolsonaro sobre embaixadores brasileiros

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum