Imprensa livre e independente
02 de dezembro de 2015, 14h29

STF pode inviabilizar candidatura de Russomanno à prefeitura de São Paulo

Condenado pela Justiça Federal a dois anos de prisão por peculato, o apresentador de TV e deputado federal apresentou recurso no Supremo para reverter a sentença; caso o órgão mantenha a decisão, Russomanno será enquadrado na Lei da Ficha Limpa e ficará inelegível por oito anos.

Condenado pela Justiça Federal a dois anos de prisão por peculato, o apresentador de TV e deputado federal apresentou recurso no Supremo para reverter a sentença; caso o órgão mantenha a decisão, Russomanno será enquadrado na Lei da Ficha Limpa e ficará inelegível por oito anos Por Redação Líder nas pesquisas de intenção de voto (34%, segundo o Datafolha) para a prefeitura de São Paulo nas eleições do ano que vem, o deputado federal e apresentador de TV Celso Russomanno (PRB-SP) pode ter sua candidatura inviabilizada pelo Supremo Tribunal Federal. Isso porque o parlamentar  entrou com um recurso no Supremo...

Condenado pela Justiça Federal a dois anos de prisão por peculato, o apresentador de TV e deputado federal apresentou recurso no Supremo para reverter a sentença; caso o órgão mantenha a decisão, Russomanno será enquadrado na Lei da Ficha Limpa e ficará inelegível por oito anos

Por Redação

Líder nas pesquisas de intenção de voto (34%, segundo o Datafolha) para a prefeitura de São Paulo nas eleições do ano que vem, o deputado federal e apresentador de TV Celso Russomanno (PRB-SP) pode ter sua candidatura inviabilizada pelo Supremo Tribunal Federal. Isso porque o parlamentar  entrou com um recurso no Supremo para reverter a sentença da Justiça Federal que o condenou, em 2014, a dois anos de prisão pela prática de peculato. Caso o STF mantenha a decisão da Justiça, o parlamentar será enquadrado na Lei da Ficha Limpa e ficará inelegível por oito anos.

De acordo com a Justiça Federal, Russomano nomeou como funcionária de seu gabinete, entre 1997 e 2001, a gerente de sua produtora de vídeo Night and Day Promoções, o que configura peculato – isto é, a apropriação de bem público. Em 2014, como não tinha mandato, o pré-candidato recorreu à decisão na Justiça Federal e, em fevereiro deste ano, após ser diplomado como parlamentar, o recurso seguiu para o STF. No último sábado (28), a Justiça informou que a decisão estava mantida, mas converteu a sentença em trabalhos comunitários e pagamentos de cestas básicas.

Veja também:  OAB fala em ‘chantagem política’ e pede que STF barre cortes na educação superior

O STF, no entanto, ainda não julgou o recurso do parlamentar. Caso a Corte o faça até agosto de 2016 – que é a data limite para registro das candidaturas –  e mantenha a decisão da Justiça Federal, Russsomanno será enquadrado na Lei da Ficha Limpa e não poderá se candidatar a cargos eletivos por oito anos. O recurso será julgado sob a relatoria da ministra Carmem Lúcia, mas o órgão ainda não tem prazo para julgar o processo.

Ao jornal Folha de S. Paulo, o presidente nacional do PRB, Marcos Pereira, disse que o partido nem “aventa” a possibilidade de não ter Russomano como candidato “porque acredita em sua inocência”.

Foto: Agência Câmara

 

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum