Imprensa livre e independente
06 de maio de 2016, 18h30

Stones não querem as suas músicas na campanha de Trump

Os Rolling Stones pediram ao candidato republicano Donald Trump para não usar as suas músicas durante a campanha juntando-se, desta forma, a Adele e ao R.E.M. Por Esquerda.net “Os Rolling Stones nunca autorizaram a campanha de Trump a usar as suas canções e pediram ao candidato para parar imediatamente”, disse o porta-voz da banda em comunicado citado por várias agências noticiosas, escreve o “Econômico”. Stones juntam-se a Adele e REM A música ‘You Can’t Always Get What You Want’, um dos temas mais populares dos Stones, foi tocada pelo menos quatro vezes durante a campanha de Donald Trump. No mês de fevereiro,...

Os Rolling Stones pediram ao candidato republicano Donald Trump para não usar as suas músicas durante a campanha juntando-se, desta forma, a Adele e ao R.E.M.

Por Esquerda.net

“Os Rolling Stones nunca autorizaram a campanha de Trump a usar as suas canções e pediram ao candidato para parar imediatamente”, disse o porta-voz da banda em comunicado citado por várias agências noticiosas, escreve o “Econômico”.

Stones juntam-se a Adele e REM

A música ‘You Can’t Always Get What You Want’, um dos temas mais populares dos Stones, foi tocada pelo menos quatro vezes durante a campanha de Donald Trump.

No mês de fevereiro, a cantora britânica Adele tinha igualmente afirmado publicamente que “não tinha dado permissão para que a sua música fosse usada em campanhas políticas, depois de Donald Trump ter utilizado “Rolling in the Deep” nos seus comícios no Iowa.

Em 2014, o REM foi a primeira banda de rock a não consentir que as suas músicas fossem utilizadas nas inciativas de campanha do candidato republicano, refere aquele jornal.

Veja também:  No Twitter, Bolsonaro diz que "infelizmente nossa constituição não permite prisão perpétua"

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum