Imprensa livre e independente
25 de junho de 2019, 07h16

“Sumamente preocupantes”, diz relator da ONU sobre conversas de Moro e Dallagnol na Vaza Jato

Baseado em informações que leu na imprensa, mas garantindo que caso seja provocado pedirá explicações ao governo brasileiro, Diego García-Sayan disse que o conluio entre Moro e Dallagnol tornou "difuso" o princípio da neutralidade da Justiça

Foto: Arquivo
Em entrevista ao jornalista Jamil Chade, divulgada nesta terça-feira (25) no portal Uol, o relator da ONU sobre a independência do Poder Judiciário, Diego García-Sayán, definiu como “sumamente preocupantes” as conversas entre o ex-juiz Sergio Moro e o procurador Deltan Dallagnol divulgadas pelo site The Intercept no caso Vaza Jato. Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo “Existem disposições claras nas leis internas em vários países, e o Brasil não é exceção, onde a função da procuradoria tem que ser independente e diferente da função dos juízes. Cada qual deve...

Em entrevista ao jornalista Jamil Chade, divulgada nesta terça-feira (25) no portal Uol, o relator da ONU sobre a independência do Poder Judiciário, Diego García-Sayán, definiu como “sumamente preocupantes” as conversas entre o ex-juiz Sergio Moro e o procurador Deltan Dallagnol divulgadas pelo site The Intercept no caso Vaza Jato.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

“Existem disposições claras nas leis internas em vários países, e o Brasil não é exceção, onde a função da procuradoria tem que ser independente e diferente da função dos juízes. Cada qual deve se desenvolver dentro de seu próprio âmbito de competência”, disse.

Baseado em informações que leu na imprensa, mas garantindo que caso seja provocado pedirá explicações ao governo brasileiro, García-Sayan disse que as conversas  são preocupantes.

“Quando isso (a independência da Procuradoria e da Justiça) se apaga, o princípio da neutralidade da Justiça se torna difuso. Acredito que seja uma informação muito séria. Não a assumo como uma prova de caráter judicial, pois não sou um juiz. Mas essa é uma informação sumamente preocupante”, classificou.

Veja também:  Carlos Bolsonaro faz birra nas redes após fim das “curtidas” no Instagram

Leia a reportagem na íntegra no blog do Jamil Chade

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum