Imprensa livre e independente
01 de maio de 2017, 15h40

Suplicy critica Doria e pede eleições diretas no 1º de Maio na Paulista

“Quando o Haddad era prefeito, houve na Paulista manifestações contra e a favor do impeachment. Então por Doria queria proibir os trabalhadores de virem aqui?”, disse o vereador no ato das centrais e movimentos em São Paulo. Confira sua fala  Por Redação, com informações de Isabelle Grangeiro, da Rede Fórum  No do 1º de Maio das centrais sindicais e movimentos sociais de São Paulo – o 1º de Maio da Resistência – o vereador Eduardo Suplicy (PT) fez uma fala contundente em que teceu críticas ao atual prefeito da capital, João Doria (PSDB), e posicionou-se à favor da proposta de...

“Quando o Haddad era prefeito, houve na Paulista manifestações contra e a favor do impeachment. Então por Doria queria proibir os trabalhadores de virem aqui?”, disse o vereador no ato das centrais e movimentos em São Paulo. Confira sua fala 

Por Redação, com informações de Isabelle Grangeiro, da Rede Fórum 

No do 1º de Maio das centrais sindicais e movimentos sociais de São Paulo – o 1º de Maio da Resistência – o vereador Eduardo Suplicy (PT) fez uma fala contundente em que teceu críticas ao atual prefeito da capital, João Doria (PSDB), e posicionou-se à favor da proposta de eleições diretas no país.

Do alto do carro de som, aclamado, Suplicy questionou Doria quanto à sua tentativa de proibir o ato de 1º de Maio das centrais na avenida Paulista.

“Quero lembrar que quando o prefeito era Fernando Haddad, houve na Paulista manifestações à favor e contra o impeachment, à favor e contra Temer. Então, por que Doria queria proibir os trabalhadores de virem aqui? O Primeiro de Maio é algo que contraria o consenso em qualquer perspectiva de quem quer fazer o Brasil uma nação efetivamente democrática”, afirmou.

Veja também:  Conversa Afiada, de Paulo Henrique Amorim, chega a 1 milhão de inscritos no YouTube

Aplaudido, o ex-senador prosseguiu e falou sobre eleições diretas.

“Quero aqui incorporar-me a todos os parlamentares que apresentaram no Congresso Nacional a proposta de eleições diretas em outubro próximo para que, então, possamos efetivamente unificar e pacificar a nação brasileira. Queremos, sim, a democracia legítima”, finalizou.

O evento do 1º de Maio da Resistência é organizado pela CUT, CTB, Intersindical, Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo.

Foto: Isabelle Grangeiro

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum