Imprensa livre e independente
11 de setembro de 2017, 11h22

Surge a primeira antologia de poemas gays do Brasil

Segundo as organizadoras, foram compilados poemas, desde o século 19, reunindo uma produção que estava dispersa e desconhecida ou nunca havia sido agrupada com este recorte da temática homossexual.

Segundo as organizadoras, foram compilados poemas, desde o século 19, reunindo uma produção que estava dispersa e desconhecida ou nunca havia sido agrupada com este recorte da temática homossexual. Da Redação Onde o gay aparece na literatura brasileira? Quais autores retrataram a temática homossexual e em que obras? Movidas por esses questionamentos, as pesquisadoras Amanda Machado e Marina Moura organizaram a primeira antologia de poemas lançada no país, que toca em temas homossexuais. A obra conta com textos inéditos dos escritores Glauco Mattoso, Roberto Piva e Walmir Ayala. Com lançamento previsto para dezembro na Galeria Olido, em São Paulo, o...

Segundo as organizadoras, foram compilados poemas, desde o século 19, reunindo uma produção que estava dispersa e desconhecida ou nunca havia sido agrupada com este recorte da temática homossexual.

Da Redação

Onde o gay aparece na literatura brasileira? Quais autores retrataram a temática homossexual e em que obras? Movidas por esses questionamentos, as pesquisadoras Amanda Machado e Marina Moura organizaram a primeira antologia de poemas lançada no país, que toca em temas homossexuais. A obra conta com textos inéditos dos escritores Glauco Mattoso, Roberto Piva e Walmir Ayala.

Com lançamento previsto para dezembro na Galeria Olido, em São Paulo, o livro Poesia Gay Brasileira leva prefácio da ensaísta, escritora, editora, crítica literária e pesquisadora brasileira Heloísa Buarque de Hollanda. Participam com poemas escritores como Lúcio Cardoso, Antonio Cicero, Caio Fernando Abreu, Amador Ribeiro Neto, Paula Taitelbaum, Mário de Andrade, Angélica Freitas, dentre outros.

“Acreditamos que já era hora de um livro destes ser organizado no Brasil. Outros países já fizeram. É uma dívida literária. Compilamos poemas, desde o século 19, reunindo uma produção que estava dispersa e desconhecida ou nunca havia sido agrupada com este recorte da temática homossexual”, afirmam as organizadoras.

Veja também:  Flávio Dino pergunta: "A tal fundação de 2,5 bilhões seria uma empresa de palestras objetivando lucros pessoais?"

Defensor da causa LGBTT e escritor, Jean Wyllys assina a orelha da obra e fala da importância de seu lançamento: “Uma antologia que reúna esses poemas e coloque esses poetas no mesmo espaço é um documento fundamental, não só para a literatura, mas para a história”.

Na década de 60, o pesquisador pernambucano Gasparino Damata organizou a antologia Poemas do Amor Maldito, na qual traz textos que subjetivamente podem ser compreendidos como de teor homossexual. No entanto, em nenhum momento, nem mesmo no prefácio, Damata explicita que se trata de uma coletânea de poemas homossexuais.

Já o escritor mineiro Luiz Ruffato lançou em 2007 uma antologia de contos com temática homossexual chamada Entre nós. Ambas as obras, a de Ruffato e a de Damata, fizeram parte da pesquisa que precedeu ao lançamento desta antologia, Poesia Gay Brasileira.

“É difícil pensar que estamos lançando somente um livro. Porque os desdobramentos são infindáveis. Conseguimos envolver várias pessoas, autores, poetas. Gravamos entrevistas, com a ajuda do Caio Costa, editor de vídeos do projeto, participamos de saraus e tiramos da poeira poemas que estavam esquecidos nas bibliotecas ou nas redes. Quem sabe até no futuro a gente não consiga desdobrar o projeto em um documentário com as entrevistas que fizemos”, finalizam as organizadoras.

Veja também:  Câmara encerra discussão sobre proposta de reforma da Previdência, que deve ir à votação nesta quarta-feira

Trajetórias

Amanda Machado é designer especialista em projetos editoriais. Mineira de Belo Horizonte, formada em Letras e mestra em Estudos Literários pela UFMG, atuou junto a povos indígenas assessorando o trabalho de produção de livros. Como professora, orientou jovens no desenvolvimento de projetos editoriais.

Marina Moura é jornalista de ofício, poeta de coração. Paulistana de nascença, com passagem em Belo Horizonte, gosta da costura fina de verbos, das escrituras via observações bucólico-urbanas e de analisar a essência das pessoas, paisagens e coisas.

O livro está em campanha de financiamento coletivo no Catarse: www.catarse.me/poesiagaybrasileira.

Foto: Divulgação

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum