#Editoriais

26 de março de 2019, 08h09

Em ação pró-reforma, Estadão, Globo e Folha pedem em editoriais que Bolsonaro “desça do palanque”

Afinados com o sistema financeiro, jornais cobram melhor articulação de Bolsonaro para aprovação de pacote de maldades da Previdência. Enquanto o Estadão "procura um presidente", O Globo diz que "os riscos são os tuítes" e a Folha critica a "indigência" de ideias para substituir a "velha política"


01 de abril de 2011, 10h57

A mídia brasileira e o golpe militar de 1964

Por Altamiro Borges: Hoje, 1º de abril, marca os 47 anos do fatídico golpe civil-militar de 1964. Na época, o imperialismo estadunidense, os latifundiários e parte da burguesia nativa derrubaram o governo democraticamente eleito de João Goulart. Naquela época, a imprensa teve papel destacado nos preparativos do golpe. Na sequência, muitos jornalões continuaram apoiando a ditadura, as suas torturas e assassinatos. Outros engoliram o seu próprio veneno, sofrendo censura e perseguições.