injustiça

  • Justos e injustos, por Alexandre de Lima Sousa

    "O juiz que desvirtua a lógica da justiça procedimental em nome de um interesse pessoal, não só se torna injusto, mas age também como um bárbaro, pois fere de morte os princípios civilizatórios de obediência às leis"

  • Não temos tempo para ter pena

    Se rir de tudo é exagero, não ter pena seria adequado. E se não ter pena é se afastar da bondade, tudo não passa de um sintoma dos tempos sombrios que vivemos. Não ter pena da injustiça, da baixeza ética, nos tornaria realmente maus?

  • Miruna Genoino: “Meu coração sangrou de novo”

    Meu pai não foi gravado pedindo nem oferecendo dinheiro, não foi visto com mala, não pediu para matar ninguém. “Ele só podia saber” foi o que o condenou, e hoje meu coração sangrou de novo um pouquinho lembrando de como a vida é injusta.

  • Teima

    Por Allan da Rosa A revista mexicana “Desinformémonos” me pediu um texto sobre o grande Mumia Abu-Jamal, que completou 60 anos de idade, muitos resistindo ao vivo no corredor da morte, como sabemos Fiz o “Teima”. Taí a letra. Fiz o “Teima”. Taí a letra. Aqui em português e no link traduzido pro espanhol, no site […]

  • Rei Lux: Minha resposta ao @STF_Oficial, Sader: Onde estavam na Ditadura Militar?

    Fonte Senhores do STF: onde estavam na ditadura? Emir Sader, em seu Blog 12/11/2012 O STF faz o Brasil se sentir constrangido pelo seu Judiciário, pela não observância da Lei Penal e da Jurisprudência consolidada da Corte, pelo exibicionismodos juízes que o compõem. Um país em que ainda sobrevivem tantos vestígios da ditadura – o […]

  • Zeca Dirceu: Força, pai, para mais uma batalha!

    A forma mais cruel de condenar alguém é desumanizá-la: o racismo faz isso com os negros, os homofóbicos com os homossexuais, os nazistas fizeram com judeus e outros grupos como os comunistas, ciganos, negros, deficientes… A mídia venal e escroque como a revista Flor do Fascio, a PCC da Mídia fez isso com José Dirceu […]

  • Ajude as mães pela igualdade a tornarem o Brasil um país mais respeitoso e justo

    Há dez anos o filho de Marlene Xavier, uma das “Mães pela Igualdade”, foi assassinado por ser gay. O assassino inclusive confessou a polícia em seu depoimento ” Não suporto homossexuais”. O assassino vem de uma rica e poderosa família e por isso, segue livre. Mesmo assim, Marlene busca por justiça. http://www.allout.org/pt/chegamosaolimite A história de Marlene […]

    • 1
    • 2