#Raphael Silva Fagundes

15 de julho de 2019, 06h00

A mídia convencerá o povo a apoiar as privatizações, como fez com a reforma da Previdência?

A retórica será a mesma: tapar rombos, aumentar recursos, diminuir gastos etc.. Mostrarão números, alguns reais, outros inventados, mas a solução será apenas uma: privatizar


07 de março de 2019, 18h05

De machões a cornos otimistas: como Bolsonaro traiu seus eleitores com a Globo

Em artigo para a Fórum, Raphael Silva Fagundes afirma: “O escândalo do vídeo foi mais uma estratégia para parecer que há um abismo entre a corporação midiática e o presidente”


06 de março de 2019, 20h06

Bolsonaro reconquista seu eleitor com o vídeo ridículo sobre o Carnaval

Raphael Silva Fagundes: “Bolsonaro convida seus eleitores a esquecerem a questão da Previdência e se regozijarem desse espetáculo imbecil. E o mais curioso é que muitos deles que até curtem os blocos de carnaval vão concordar com o seu mito”


05 de março de 2019, 18h36

Ou o presidente finge ignorância ou não faz ideia do que é cidadania

“A despolitização tem como objetivo burlar a verdade e produzir uma base popular de apoio desinteressada em política e que, por sua vez, aceite tudo que o mestre disser”, diz Raphael Silva Fagundes, em novo artigo


27 de fevereiro de 2019, 17h18

E o Oscar de ministro mais estúpido vai para…

Raphael Silva Fagundes aborda, em formato de crônica, as polêmicas protagonizadas por ministros em uma fictícia entrega de prêmios


25 de fevereiro de 2019, 23h14

Eles não são burros, são covardes mesmo: as estratégias da desinformação

Raphael Silva Fagundes aborda o projeto da equipe econômica de Bolsonaro: “A reforma da Previdência está montada sobre o discurso fiscal, de que é preciso angariar recursos. Mas existem outras formas de buscar recursos”


20 de fevereiro de 2019, 23h53

Aqui não tem santo: os interesses da imprensa que ataca Bolsonaro

Raphael Silva Fagundes: “Temer, Bolsonaro, Mourão, são todos marionetes para impor um projeto de poder covarde. Fazem o povo amar e odiar pessoas quando na verdade o vilão é uma estrutura de poder”


15 de fevereiro de 2019, 21h33

O aumento da repressão na República dos laranjas

Quanto menos direitos, maior a presença da violência. Nos lugares onde as pessoas têm os direitos violados, direito à saúde, à educação etc., a violência acaba por ser maior


11 de fevereiro de 2019, 20h14

Uma ditadura pra quê? O povo escolheu perder seus direitos

Raphael Silva Fagundes: “É preciso lutar contra a corrupção, mas não se trata de uma moeda de troca, e infelizmente um cenário foi montado para isso”


09 de fevereiro de 2019, 13h10

A era das “fatalidades”: a soma das desgraças nos 40 dias de governo Bolsonaro

Raphael Silva Fagundes: “O início de uma 'nova' era na política brasileira está sendo marcado por grandes desastres. Uns ligados diretamente à 'nova direção', outros que vieram apenas para descolorir ainda mais as trevas que se iniciam”


06 de fevereiro de 2019, 21h45

Não seja estúpido, Moro quer é proteger o Estado burguês da ira popular

Raphael Silva Fagundes: “Será que as reformas criminais de Moro não estão prevendo um cenário de sedição popular?”


05 de fevereiro de 2019, 22h54

Ajuda humanitária: a hipocrisia do imperialismo

Raphael Silva Fagundes: “O desejo de se romper com o imperialismo, objetivo da política de Maduro, gera uma intervenção extremamente agressiva do capital internacional”


04 de fevereiro de 2019, 22h39

A arte da picuinha: um pastor ridículo e um general paz e amor

Raphael Silva Fagundes: “A burguesia tem várias formas de se fortalecer, de encontrar remédios para manter a sua posição tradicional: Obama e Trump, Sarkozy e Hollande, Lula e Bolsonaro”


01 de fevereiro de 2019, 19h10

Pobre tem que se f*: como os ricos financiam a violência

Raphael Silva Fagundes: “A cultura do medo forjada pela mídia tem a intenção clara de nos alienar perante as contradições de classe”


28 de janeiro de 2019, 14h37

Mais mercado, mais trabalhadores mortos, mais desastres ambientais

A Vale praticou o capitalismo de maneira mais tradicional: aquilo que não é mais útil é abandonado. Explora-se o máximo possível e depois se abandona. Assim, a barragem sem manutenção rompeu e assassinou as pessoas que ali viviam, passavam e trabalhavam.