#Semiótica

15 de julho de 2017, 11h22

A condenação de Lula e a midiática “crítica nem-nem”

Após a sentença de condenação de Lula pelo juiz Sérgio Moro, a TV mostrou imagens de comemorações em frente à Vara de Curitiba por manifestantes em suas indefectíveis camisas amarelas da CBF. Ao mesmo tempo, tomadas da Avenida Paulista com mais manifestantes, agora de camisetas vermelhas, faixas e punhos erguidos em protesto contra a condenação […]


13 de julho de 2017, 20h30

O que nos conta o sismógrafo gramatical da TV Globo?

Em 2015 o escritor Pablo Villaça ironizou a proliferação do adjunto adverbial de concessão no bordão “Apesar da crise” repetido pela grande mídia como uma deliberada tática de repetição para criar uma crise autorrealizável e desestabilizar o governo Dilma. Na época, depois de décadas de “jornalismo adversativo”(“porém”, “mas” etc.) a mídia dava uma guinada gramatical […]


27 de junho de 2017, 13h46

O hit “Despacito”, Woody Allen e a espiral do silêncio

O que tem a ver o cineasta Woody Allen com o estrondoso sucesso do ritmo reggaeton com o hit “Despacito”, nesse momento tocando em nove em cada dez festas juninas brasileiras? Muito, desde a reação de Woody diante de uma banda de punk rock no filme “Hanna e suas Irmãs” (1986) até o niilista aforismo […]


16 de junho de 2017, 18h08

Miriam Leitão, capas de revistas e a teratopolítica

A denúncia tardia da jornalista Miriam Leitão de que supostamente teria sido vítima do ódio de petistas num voo entre Brasília-Rio tem um timing preciso: o momento no qual Lula e Lava Jato estão em segundo plano diante da guerra entre os canhões da Globo e a resistência do desinterino Michel Temer em se agarrar […]


25 de maio de 2017, 22h03

Ataque em Manchester cria dissidências e armadilha do “meta-terrorismo”

Paris, Bruxelas, Nice, Berlim, Estocolmo, Londres, e agora Manchester. Sempre a recorrências dos mesmos elementos de um roteiro: o terrorista sempre morre no final, um homem-bomba que leva cartão de banco, o inexplicável relaxamento da segurança em uma arena com 21 mil pessoas etc. e etc. Mas dessa vez, as “coincidências” ficaram tão evidentes que […]


18 de maio de 2017, 19h16

Delações da JBS deixam nu o jornalismo da Globo

Ao vivo repórteres e apresentadores nervosos, consternados, engolindo seco em uma profusão exponencial de gafes e atos falhos poucas vezes vista. Os jornalistas da Globo parece que foram pegos de surpresa: depois de diariamente martelar a narrativa da governabilidade e do “ruim com ele, pior sem ele”, de repente (como se fosse virada alguma chavinha […]


10 de maio de 2017, 18h31

A construção do super-herói amoral nas capas de “Veja” e “IstoÉ”

Pela primeira vez em anos as capas as revistas “Veja” e “IstoÉ” escancaram sinceridade e franqueza: recursos semióticos como retórica, iconificação e analogia usados não mais para esconder, mas para explicitar aquilo que sempre essas publicações não ousavam admitir: o juiz de primeira instância Sergio Moro há muito deixou o campo do Direito para atuar […]


05 de janeiro de 2017, 11h00

Tautismo fonoaudiológico da Globo quer legitimar capitalismo de desastre

Depois de entrar em metástase e, a partir das “hardnews” dos telejornais, contaminar o jornalismo esportivo, teledramaturgia e entretenimento, encontramos uma das origens da doença do tautismo (autismo + tautologia) da TV Globo: o método fonoaudiológico responsável há décadas pela fala dos atores, repórteres, radialistas e âncoras da emissora. É o chamado “Método do Espaço Direcional” […]


22 de novembro de 2016, 13h03

Vídeo revela surto semiótico-esquizofrênico que se espalha pelo País

Compenetrada e em tom de grave denúncia, um dos manifestantes que invadiram a plenária da Câmara dos Deputados na semana da passada, pedindo “intervenção militar institucional” no País, gravou um vídeo no qual aponta para um painel dos 100 anos da imigração japonesa dizendo: “cena nojenta, a nossa bandeira com o símbolo vermelho…”, numa alusão […]


07 de novembro de 2016, 11h52

Anomalias semióticas no II Congresso do Movimento Brasil Livre

Há algo estranho no material de divulgação do II Congresso Nacional do Movimento Brasil Livre, a ser realizado esse mês em São Paulo. Um dos principais protagonistas no impeachment da presidenta Dilma Rousseff, o MBL divulga uma rodada de palestras encabeçada pela foto do ministro do STF Gilmar Mendes. Mas há anomalias semióticas: para começar, […]


25 de setembro de 2016, 11h56

A agenda secreta da reforma do ensino: o analfabetismo visual

Depois da divulgação da Medida Provisória que “flexibiliza” disciplinas do Ensino Médio como Artes e Educação Física o Ministério da Educação voltou atrás dizendo que não era bem assim. Isso depois de forte reação de educadores e pedagogos. Mas está claro: não basta apenas o golpe político. É necessária uma operação psicológica para anestesiar as […]


05 de setembro de 2016, 10h58

Impeachment, o não-acontecimento e a psico-história

Comparam a consumação do impeachment de Dilma Rousseff com as circunstâncias do golpe militar de 1964. Lá estavam a força de armas e coturnos. Aqui em 2016, todas as “data venias” dos rapapés de juízes, juristas e parlamentares. Mas os eventos são incomparáveis: lá em 1964 tivemos a tragédia de um evento histórico. Hoje, assistimos […]


28 de agosto de 2016, 10h19

O estilo “Welcome to Brazil” no filme “Boi Neon”

Enquanto em 1979 o filme “Bye Bye Brasil”, de Cacá Diegues, era a despedida de toda uma geração para um País que não mais existiria graças a americanização trazida pela TV, no filme “Boi Neon” (2015), de Gabriel Mascaro, a geração atual declara: “Welcome to Brazil”. Não mais o Brasil da “Caravana Rolidei” cuja trupe […]


25 de agosto de 2016, 19h27

Globo News dá “pérolas coxinhas” para desempregados

Diariamente acompanhamos na grande mídia um desfile de clichês do manual do perfeito empreendedor de si mesmo, “pérolas coxinhas”: pessoas proativas, criativas etc. teriam mais chances de arrumar um emprego… apesar da crise. O adjunto adverbial de concessão é o único elemento que dá racionalidade a essa fábula diária na TV. Uma dessas fábulas foi […]


17 de agosto de 2016, 18h30

Pokémon Go: bem vindo ao deserto do real!

O filme “Matrix” e o conto “Sobre o Rigor da Ciência” do argentino Jorge Luís Borges ajudam bastante a entender a atual febre em torno do jogo Pokémon GO. Não a compreender o jogo em si (de forma positiva ajuda a nos familiarizar com o ambiente urbano e nos tira do sedentarismo, a velha crítica […]