Imprensa livre e independente
25 de julho de 2016, 10h23

Taxista confunde viatura da PM com Uber, provoca acidente e é preso

Taxista forçou batida com o veículo, que era uma viatura descaracterizada do Gabinete Militar do governo de Minas.

Taxista forçou batida com o veículo, que era uma viatura descaracterizada do Gabinete Militar do governo de Minas Por Redação Neste domingo (24), um taxista forçou uma batida com um sedã preto, em Belo Horizonte (MG), após confundi-lo com um carro a serviço do Uber. No entanto, o veículo era uma viatura descaracterizada do Gabinete Militar do Governador do Estado. O taxista teria cortado o carro pela direita, invadido a faixa central e freado para que o sedã batesse na traseira. Após o acidente, os passageiros desceram do carro e se identificaram como oficiais da PM. O taxista, então, fugiu e foi perseguido até...

Taxista forçou batida com o veículo, que era uma viatura descaracterizada do Gabinete Militar do governo de Minas

Por Redação

Neste domingo (24), um taxista forçou uma batida com um sedã preto, em Belo Horizonte (MG), após confundi-lo com um carro a serviço do Uber. No entanto, o veículo era uma viatura descaracterizada do Gabinete Militar do Governador do Estado.

O taxista teria cortado o carro pela direita, invadido a faixa central e freado para que o sedã batesse na traseira. Após o acidente, os passageiros desceram do carro e se identificaram como oficiais da PM. O taxista, então, fugiu e foi perseguido até ser preso.

A Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do motorista, que se recusou a fazer o teste do bafômetro, foi recolhida e o carro apreendido. Após prestar depoimento, ele foi liberado sob comprometimento de comparecer a uma audiência no Juizado Especial da cidade.

Em nota oficial, o presidente do Sindicato dos Taxistas de Belo Horizonte disse que repudia a ação e que não é por meio de violência que os profissionais vão encontrar “soluções para combater o transporte clandestino”, disse em crítica ao aplicativo.

Veja também:  No Mercosul, Bolsonaro pede embaixador sem "viés ideológico", mas exalta ida de filho para EUA

Foto: Divulgação/PM

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum