Quilombo

por Dennis de Oliveira

23 de abril de 2013, 03h30

Tiradentes? E Lucas Dantas, Manuel Faustino, Luiz Gonzaga e João de Deus?

Domingo passado seria feriado, 21 de abril. A data celebra a Inconfidência Mineira. Todos se lembram de Tiradentes, lider deste movimento que defendia a independência do Brasil e, por isto, foi enforcado. O mártir da independência. Chegou a virar símbolo da resistência política e o lema do seu movimento hoje é a bandeira de um dos mais importantes estados da União, Minas Gerais. A representação social deste movimento é tão interessante que se buscou criar semelhanças entre Tiradentes e Jesus Cristo – a imagem desenhada de um e outro se assemelham, assim como a história da “traição” de Joaquim Silvério dos Reis lembra a de Judas. Há, assim, uma quase que “santificação” da figura de Tiradentes.

Agora, alguém se lembra ou sabe da INCONFIDÊNCIA BAIANA de 1798, movimento também chamado de “Guerra dos Alfaiates”, por conta da grande participação de negros e descendentes alfaiates, portanto um movimento de base popular e tinha como bandeira central, além da independência do Brasil, o fim da escravidão? Poucos se lembram, inclusive que o programa político dele era muito mais avançado que o do movimento mineiro. Principalmente que, enquanto a revolta mineira tinha origem em estratos médios e intelectuais, a baiana era de base popular e negra.

Os quatro líderes deste movimento foram enforcados em 8 de novembro de 1799 – Lucas Dantas (soldado), Manuel Faustino (aprendiz de alfaiate), Luiz Gonzaga das Virgens (soldado) e João de Deus (mestre alfaiate) – foram esquartejados e suas cabeças expostas ao público e as três gerações de familiares seguintes com a memória amaldiçoada publicamente. Antes da execução, os quatro jovens recusaram a extrema-unção do sacerdote católico por considerarem que a igreja não estava do lado deles.

Os quatro jovens, negros e, por isto, esquecidos pela história oficial do Brasil. Como muitos outros heróis e heroínas negros e negras, das periferias, que ainda hoje lutam por um país mais justo.

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum