Imprensa livre e independente
27 de setembro de 2016, 17h28

TJ anula julgamento dos PM’s envolvidos no Massacre do Carandiru

O desembargador Ivan Sartori, relator do caso, disse que o episódio foi um ato de “legítima defesa” e que os 74 policiais militares condenados pelas mortes de 111 pessoas em 1992 foram absolvidos Por Redação A 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo anulou nesta terça-feira (27) os julgamentos que condenaram 74 policiais militares pelo Massacre do Carandiru, quando 111 pessoas foram mortas dentro do presídio, em 1992. A defesa dos PM’s tinha entrado com um pedido de anulação dos julgamentos e pediu a absolvição dos réus. O desembargador Ivan Sartori, relator do caso, disse que o...

O desembargador Ivan Sartori, relator do caso, disse que o episódio foi um ato de “legítima defesa” e que os 74 policiais militares condenados pelas mortes de 111 pessoas em 1992 foram absolvidos

Por Redação

A 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo anulou nesta terça-feira (27) os julgamentos que condenaram 74 policiais militares pelo Massacre do Carandiru, quando 111 pessoas foram mortas dentro do presídio, em 1992.

A defesa dos PM’s tinha entrado com um pedido de anulação dos julgamentos e pediu a absolvição dos réus. O desembargador Ivan Sartori, relator do caso, disse que o episódio foi um ato de “legítima defesa” e que os réus deveriam ser absolvidos.

“Não houve massacre, houve legítima defesa”, afirmou.

Com três dos quatro votos possíveis no colegiado, o processo foi anulado e os julgamentos devem ser refeitos.

Veja também:  Saiba quem é Danilo Faggian, advogado que iniciou movimento de censura a Miriam Leitão

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum